Malha cicloviária segue em lento crescimento nas cidades brasileiras

A capital brasileira com a maior malha cicloviária é São Paulo: 498,3 km. Em seguida, vêm Brasília, Rio de Janeiro, Fortaleza e Salvador.


20 de Novembro de 2020 | 19h45

Quem pensa em modernas cidades europeias, logo imagina ruas com muitas bicicletas e poucos carros. Em lugares como Amsterdã, Berlim e Hamburgo, a malha cicloviária permite que se faça praticamente tudo pedalando.

No Brasil, ainda estamos longe de chegar nessa possibilidade. Por mais que a malha cicloviária esteja em expansão, falta muito para que ela permita à população realmente explorar as cidades via bicicleta.

A capital brasileira com a maior malha cicloviária é São Paulo: 498,3 km. Em seguida, vêm Brasília, Rio de Janeiro, Fortaleza e Salvador. Na parte de baixo dessa tabela, encontramos Macapá, com apenas 11 km, São Luís e Porto Velho.

Esses números representam uma considerável expansão. Os 3291 km de ciclovias das capitais brasileiras somadas são 133% a mais do que os 1414 km que existiam em 2014. Mesmo que ainda lento, existe um movimento para tornar as cidades mais acessíveis e seguras para os ciclistas e para incentivar que a bicicleta se torne um meio de transporte respeitado.

Por outro lado, ainda falta muito para que a expansão da malha cicloviária seja satisfatória. Amsterdã é uma cidade de apenas 800 mil habitantes e possui mais de 500 km de ciclovias, número superior ao de qualquer capital brasileira. São Paulo, por exemplo, tem mais de 12 milhões de habitantes. A comparação mostra o quanto é longo o caminho que ainda precisa ser percorrido.

Falta de estrutura impede o avanço das ciclovias

É comum que problemas estruturais como ruas esburacadas ou estreitas, ladeiras em excesso e pouca manutenção façam com que as ciclovias não ofereçam segurança aos ciclistas no Brasil.

Algumas prefeituras investem para que a malha cicloviária de suas cidades sejam realmente seguras e utilizáveis. Recentemente, obras entre as praias do Pecado e Cavaleiros melhoraram a estrutura, reforçaram a pintura e renovaram a estrutura desse trecho em Macaé.

A prefeitura de Macaé também faz um trabalho de conscientização com motoristas de automóveis sobre a importância de respeitar os ciclistas. Esse é um passo importante para que mais pessoas se sintam seguras para usarem a bicicleta como meio de transporte.

Invista em segurança para começar a pedalar

Quem deseja começar a pedalar para a escola, trabalho ou para os compromissos do cotidiano precisa investir em segurança. Além de ter uma bicicleta capaz de aguentar o tranco, outros equipamentos ajudam a reduzir ou talvez eliminar o risco de acidentes. É importante usar roupas coloridas que tornam o ciclista mais visível para os motoristas, assim como luvas e óculos especiais.Outro item fundamental é o capacete para ciclismo, tão indispensável como o usado pelos motociclistas.

O Código Brasileiro de Trânsito também abrange os ciclistas e lista normas e infrações. Usuários da bicicleta devem conhecê-lo bem.

Mesmo que ainda lento, o crescimento da malha cicloviária acontece nas principais cidades brasileiras. É um movimento coordenado com o interesse da população em usar a bicicleta como meio de transporte, opção que faz bem para a saúde e é mais amigável com o planeta.


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.