Campanha site

Os desafios de Wladimir no jogo político das eleições deste ano


  • Opinião NF
  • 20 de Maio de 2022 | 14h05

As peças para o jogo de xadrez eleitoral da família Garotinho estão colocadas na mesa. A posição final neste tabuleiro ainda é uma incógnita, mas as movimentações nos bastidores estão a todo vapor. O prefeito Wladimir Garotinho terá um grande desafio pela frente que, ao final, com certeza servirá para amadurecê-lo como político e ser humano. 

Wladimir é o único nome da família com cargo em Executivo, logo no comando do maior município do interior fluminense, e com uma crise em andamento no Legislativo. Crise esta capitaneada pelo deputado estadual Rodrigo Bacellar (PL), com o seu grupo político tentando chegar ao comando da Câmara Municipal e implodindo a base governista.

No entanto, toda a estratégia dos Garotinho depende para onde irá se mover o patriarca da família, o ex-governador Anthony Garotinho. Inicialmente cotado para ser um dos puxadores de votos do União Brasil para deputado federal, ele anunciou nesta semana que é pré-candidato ao Governo do Estado e que não será a nenhum outro cargo. E isso muda tudo.

Wladimir enfrenta, novamente, questões que envolvem sua família. Em 2014, ele contrariou o pai e mãe, a então prefeita Rosinha Garotinho, e lançou a candidatura do amigo de longa data Bruno Dauaire para deputado estadual. Bruno venceu e foi reeleito em 2018 em uma dobradinha com o amigo. 

Em 2022, Dauaire tentará a segunda reeleição e, obviamente, com o apoio de Wladimir, que, agora prefeito, terá que dividir as atenções com outros pré-candidatos do grupo. Na última semana, Rosinha publicou nas redes sociais que a outra filha, a deputada federal Clarissa Garotinho, também era pré-candidata a deputada estadual.

Esse movimento teria a capacidade de minar ainda mais a preferência do prefeito por Bruno e dividir os votos do grupo, o que poderia colocar Dauaire em um risco maior. Claramente era a opção da família de fazer uma dobradinha de Garotinho a deputado federal e Clarissa a estadual. 

Mas com o ex-governador como pré-candidato ao Palácio Guanabara, Clarissa se manteria como pré-candidata à Alerj ou tentaria a reeleição para deputada federal?

Dizem nos bastidores que o governador Cláudio Castro tenta manobrar pela direção nacional do União Brasil para brecar uma possível candidatura de Garotinho, que ainda precisa ser aprovada por convenção.

E se tiver uma disputa entre Garotinho e Castro nas urnas, como Wladimir fica? Ele tem agradecido publicamente e se mostrado grato ao governador pela parceria com a prefeitura de Campos para investimentos importantes. Durante a assinatura do termo de cooperação entre a Uenf e Alerj para reforma do Arquivo Público Municipal, o prefeito disse que comentará sobre o assunto apenas após as convenções e reafirmou sua disposição de dialogar com a oposição para resolver a crise na Câmara.

As peças estão se movimentando e ainda vão se mexer muito até as convenções, quando serão definidos os nomes que concorrerão a quais cargos. É um jogo muito difícil que precede as eleições, quando a população terá a oportunidade de escolher os melhores candidatos. Certamente, todas essas situações tem tirado o sono de Wladimir nas últimas noites, mas o importante é que ele aprenda e saia um político ainda melhor disso tudo. E que o eleitor tenha a opção de ter bons quadros para representa-los, independente de família, partido, grupo ou opiniões

Seja o Primeiro a Comentar

Comentar

Campos Obrigatórios. *