Campanha site

A "onda" dos oportunistas na política campista


  • Opinião NF
  • 21 de Janeiro de 2022 | 14h22

O surfe entrou no programa olímpico na última edição dos jogos, em Tóquio, em 2021. E parece que tem alguns vereadores de oposição em Campos treinando para disputar a medalha de ouro. Isso porque não é difícil de ver alguns parlamentares tentando surfar na onda do oportunismo. Em um trabalho de parceria, a equipe do prefeito Wladimir Garotinho tem preparado vários projetos para obras de infraestrutura importantes e entregado ao Governo do Estado, que será responsável pela execução dos projetos. É o caso dos bairros legais do Parque Saraiva, da Vila dos Pescadores e demais localidades, além da reforma do Hospital Geral de Guarus e tantas outras intervenções. 

Só que no mais puro oportunismo, vereadores como Rogério Matoso e Igor Pereira – ligados ao grupo do secretário estadual de Governo Rodrigo Bacellar – se antecipam às obras e percorrem essas localidades falando com população que eles estão com Bacellar, que aquela obra será feita graças ao secretário. Eles tentam pegar essa onda, mas os projetos foram realizados pela prefeitura e serão executados pelo Estado. Além disso, tudo será feito com dinheiro dos nossos impostos e não é nenhum favor de Rodrigo e de ninguém, pelo contrário, é um dever do governo.

Houve a venda da Cedae, que está permitindo o governo a realizar diversas melhorias no estado inteiro e, claro, existe a conta eleitoral. O governador Cláudio Castro é candidato a reeleição. Ele chegou ao Palácio Guanabara em uma composição inusitada. Vice de Wilson Witzel, que venceu inesperadamente o último pleito, mas acabou cassado. E há quem diga que Castro é refém da Alerj por isso.

A quem estão servindo?

É importante fazer um questionamento: esses vereadores estão servindo à população ou ao seu líder político? Estão preocupados com seus mandatos ou com as eleições deste ano? E, no caso de Matoso, ele não precisava disso. É um bom parlamentar e não tinha necessidade de seguir nenhum senhor. Por toda sua postura como vereador, sempre combativo, deixou de ser governo, mas segue os caminhos de Bacellar. Poderia ser independente mesmo porque já provou ser um vereador com qualidades.

Garotinho rompe com Castro?

Ainda no âmbito estadual, o ex-governador Anthony Garotinho disse que não tem como apoiar Cláudio Castro. “Com essas laranjas podres que estão ao lado dele, tenho receio de que ele se torne um novo Sérgio Cabral. Eu não vou colocar minha mão em cumbuca dos outros”. As declarações foram dadas ao programa Fala Garotinho, na rádio Costa Verde FM. Seu filho, o prefeito Wladimir, é aliado de primeira linha de Castro, mas Garotinho diz coloca em dúvida a frente política ampla que o governador tem feito para tentar a reeleição. A observar os desdobramentos.

Vereadores de férias...

Além dos vereadores surfistas, também tem aqueles que estão de férias. Enquanto alguns, como Leon Gomes, Bruno Pezão e Pastor Marcos Elias seguem firme o trabalho durante o período de recesso legislativo, representando a Câmara e acompanhando de perto as ações no município – inclusive durante as cheias dos rios  –, outros realmente saíram de férias. Para o leitor e eleitor saber, é só acessar as redes sociais de cada parlamentar e observar a frequência de postagens neste período. E esta é a linha mais direta que o cidadão tem para cobrar e fiscalizar nossos políticos.

...e equilibristas

Também é curioso observar os vereadores equilibristas, como Silvinho Martins e Marcione da Farmácia. Ambos foram eleitos pelo grupo de Bacellar, mas continuam apoiando o governo Wladimir. Saem nas fotos ao lado dos dois e tentam se manter nesta corda bamba. Quase uma bigamia política. Silvinho, inclusive, diz que tem o apoio do secretário estadual de Governo para ser candidato a deputado estadual. Mas é bom lembrar que tem um momento do mandato que a conta da posição será cobrada. De qual lado estarão? Não dá para servir a dois senhores. 

Mau exemplo

E a prefeita Carla Machado, de São João da Barra, deu mais um mau exemplo. No momento do aumento no número de casos de Covid-19, a experiente política – que não se vacinou – fez uma live nas redes sociais para desaconselhar os pais a imunizarem as crianças, indo contra a recomendação dos especialistas. Já foi provado que as vacinam trazem muito mais benefícios e toda medição tem efeitos colaterais e riscos, mas que são menores do que os da Covid. Houve uma politização muito grande em cima desse tema e hoje em dia todo mundo se acha especialista em ciência.

Seja o Primeiro a Comentar

Comentar

Campos Obrigatórios. *