Google News

Campos ocupa o 1º lugar em número de estações de recarga de carros elétricos

Ao todo, os municípios do Norte Fluminense têm 15 das 399 estações de carregamento do estado


  • Geral
  • 09 de Julho de 2024 | 13h36 | Por: Catarine Barreto
 Reprodução
Reprodução

Um levantamento inédito feito por pesquisadores do Mestrado Profissional em Ciências do Meio Ambiente da Universidade Veiga de Almeida (UVA) mostrou que apenas três dos nove municípios da região Norte Fluminense possuem estações para recarga de carros elétricos: Campos dos Goytacazes, Macaé e São João da Barra.

Ao todo, os municípios do Norte Fluminense têm 15 das 399 estações de carregamento do estado do Rio de Janeiro, o equivalente a cerca de 4% do total. O estudo identificou os eletropostos utilizando a base de dados do aplicativo internacional PlugShare, ferramenta comunitária que permite aos motoristas de veículos elétricos localizarem estações de recarga. Os dados da pesquisa foram coletados no final de abril.

O município de Campos dos Goytacazes é o maior em número de estações para recarga de carros elétricos no Norte Fluminense, com dez eletropostos (67% do total da região), e também ocupa o quinto lugar no estado. Já as cidades de Macaé e São João da Barra contam, respectivamente, com quatro e uma estação para recarga.

Carapebus, Cardoso Moreira, Conceição de Macabu, Quissamã, São Fidélis e São Francisco de Itabapoana não possuem nenhuma estação. Além delas, outras 45 cidades fluminenses também não possuem nenhum eletroposto, o que limita os usuários de carros elétricos dessas áreas a dependerem quase exclusivamente da recarga residencial.

"A cidade de Campos é a principal beneficiária dos investimentos em infraestrutura de recarga de carros elétricos da região, que podem desempenhar um papel crucial na mitigação das emissões de gases de efeito estufa de origem veicular. Isso reflete maior demanda e poder aquisitivo, mas também expõe uma desigualdade significativa em relação às demais cidades da região e a necessidade urgente de expansão dessa infraestrutura para suportar a crescente demanda por veículos elétricos", avalia o coordenador do Mestrado Profissional em Ciências do Meio Ambiente da UVA e líder da pesquisa, Ricardo Soares.

Além de Campos, entre os dez municípios com mais eletropostos no estado do Rio predominam cidades da Região Metropolitana (Petrópolis e Niterói) e regiões com apelo turístico de alto poder aquisitivo, como Búzios, Angra dos Reis e Paraty.

"Com a crescente presença de montadoras chinesas no Brasil, que têm aumentado a oferta e o acesso a veículos elétricos, a demanda por eletropostos se torna ainda mais urgente. A expansão dessa rede é essencial para suportar o crescimento da frota de veículos elétricos, incentivar a adoção dessa tecnologia sustentável e reduzir a dependência de veículos que utilizam combustíveis fósseis", avalia Augusto Ahn Ka, pesquisador da UVA e um dos autores do estudo.

Para Pablo Vimercati Simas, pesquisador da UVA e também coautor da pesquisa, a falta de estações de recarga em outras regiões do estado pode induzir os proprietários de carros elétricos a possuírem um segundo veículo movido a combustíveis fósseis para longas viagens, relegando os carros elétricos ao papel de veículos para trajetos curtos.

"Esse cenário reforça a necessidade de políticas públicas e investimentos privados para expandir a rede de eletropostos além dos grandes centros urbanos, garantindo que a infraestrutura acompanhe o ritmo de crescimento dos veículos elétricos. Sem essa expansão, a adoção ampla e eficaz de veículos elétricos no Brasil pode enfrentar obstáculos significativos, como o desencorajamento de futuros compradores que temeriam a 'ansiedade de recarga' — a preocupação de ficar sem acesso a uma fonte de eletricidade e sofrer uma 'pane elétrica', similar à 'pane seca' dos veículos a combustão", diz Simas.

Em uma segunda etapa, o grupo de pesquisa pretende ampliar a análise para outros estados, o que permitirá uma compreensão mais ampla e detalhada da distribuição de eletropostos em nível nacional. O mapeamento contínuo pode ajudar a identificar áreas que necessitam de investimentos e apoiar políticas públicas que promovam a expansão da infraestrutura de recarga. Apesar de o PlugShare depender da participação dos usuários para manter a precisão e a atualização dos dados, é crescente o número de publicações científicas que utilizam essa base de dados para indicar a densidade de eletropostos em diferentes regiões.

 

Fonte: Ascom

Seja o Primeiro a Comentar

Comentar

Campos Obrigatórios. *