Campanha site

Operação da Usina Coagro/Paraíso foi debatida durante encontro com produtores e fornecedores

Frederico Paes confirmou a previsão de retomada da produção na Usina Paraíso para junho de 2023


  • Geral
  • 23 de Junho de 2022 | 07h51
 Reprodução
Reprodução

O setor sucroenergético de Campos e região ganhou um grande reforço nesta quarta-feira (22), durante um encontro com produtores e fornecedores de cana de açúcar promovido pela Cooperativa Agroindustrial do Estado do Rio de Janeiro (Coagro). Na reunião foi abordado o planejamento da da entrada em operação da Unidade Coagro Paraíso, em Tócos, com previsão para o próximo ano. Participaram da reunião o vice-prefeito de Campos e também presidente da Coagro, Frederico Paes, e o secretário de Agricultura, Pecuária e Pesca, Almy Júnior, que representou o prefeito Wladimir Garotinho, além do presidente da Associação Fluminense dos Produtores de Cana (Asflucan), Tito Inojosa, e secretários de municípios vizinhos. 

Frederico Paes confirmou a previsão de retomada da produção na Usina Paraíso para junho de 2023, destacando a importância da iniciativa, que conta com investimentos privados de cerca de R$ 50 milhões. O secretário Almy Júnior diz que "ter a usina Paraíso, uma unidade  moendo de novo na Baixada Campista significa um movimento fundamental para o desenvolvimento da agricultura em nosso município". 

"A retomada de uma agroindústria dessa envergadura, para alavancar um setor importante da agricultura campista e regional, é um alento naquilo que a gente acredita. Ter uma usina funcionando na Baixada Campista, onde já tivemos várias usinas, onde áreas são propícias ao cultivo da cana de açúcar, é fundamental para a geração de emprego e renda, para a produção de produtos campistas, para a viabilidade econômica de diferentes tipos negócios", disse Almy. 

O secretário explica que o empreendimento tende a fortalecer o agronegócio. "Principalmente com a utilização da matéria-prima daqui para a produção de produtos agroindustriais com CNPJs campistas. Isso é crescimento do setor e, o mais importante, é desenvolvimento com qualidade, que cria a perspectiva de renda, emprego, fixação do trabalhador no campo, mais qualidade de vida para a população rural".

Seja o Primeiro a Comentar

Comentar

Campos Obrigatórios. *