Campanha site

TCE: Castro pede voto para Pacheco e desagrada Washington Reis

A disputa de Pacheco será contra o irmão de Washington, Rosenverg Reis


  • Política
  • 22 de Junho de 2022 | 08h30
 Reprodução
Reprodução

A bancada de deputados estaduais do PL fechou questão, no início da tarde desta terça-feira (21), para votar em peso na condução de Márcio Pacheco (PSC) para a vaga de conselheiro no Tribunal de Contas do Estado (TCE). Partido com maior representatividade na Alerj, o PL garante sozinho 14 votos para Pacheco, líder do governo Cláudio Castro (PL).

A interferência de Castro na disputa irritou o ex-prefeito de Duque de Caxias Washington Reis (MDB), cotado para vice na chapa com a qual o governador vai buscar a reeleição em outubro. Rosenverg Reis (MDB), irmão de Washington, é um dos principais adversários de Pacheco na disputa. O terceiro é Val Ceasa, do Patriotas

Pelas regras, a vaga no TCE, decorrente da aposentadoria do conselheiro Aloysio Neves, deve ser preenchida por indicação da Assembleia Legislativa.

"Em 30 anos de política, eu nunca vi um governador usar a máquina do Executivo para tratorar uma eleição que cabe ao Legislativo", disse Washington.

Castro começou a ligar para todos os deputados, um a um, na tarde do último domingo (19). Na véspera, ele havia passado o dia em agendas em Duque de Caxias, na companhia dos políticos da família Reis. Lá, segundo Washington, fora informado de que Rosenverg já havia conseguido os votos necessários para garantir a sua eleição como conselheiro. No mesmo dia, os Reis haviam conquistado o apoio do PSD do prefeito Eduardo Paes.

Perguntado se a atuação de Castro contra o irmão racharia a base ou inviabilizaria a sua participação na chapa pela reeleição do governador, Washington disse que, apesar de decepcionado, preferia esperar.

"Não vou ainda me posicionar sobre isso porque acredito que o governador vá rever sua posição", concluiu.

O partido do governador não estava fechado com Pacheco, mas os parlamentares que tinham prometido voto no concorrente, Rosenverg Reis (MDB), foram convencidos a mudar de posição. Um dos movimentos para derrotar Rosenverg foi convencer o terceiro deputado que tinha chances na briga, Val Ceasa (Patriotas), a retirar sua candidatura.

A estratégia parece estar dando certo, e Pacheco caminha a passos largos para uma vitória na eleição nesta quarta-feira (22).

Fonte: Extra 

Seja o Primeiro a Comentar

Comentar

Campos Obrigatórios. *