NOVO NF

Homem agredido por enxadão na cabeça tem parte de crânio retirada e guardada no abdômen

Ele ficou internado por quase 30 dias e precisou passar por um procedimento cirúrgico curioso


  • Cidades
  • 27 de Novembro de 2021 | 09h32
 Reprodução/ G1
Reprodução/ G1

O ajudante de motorista de 61 anos ferido ao ser atingido por um enxadão se recupera em casa, em Bady Bassitt (SP). Ele ficou internado por quase 30 dias e precisou passar por um procedimento cirúrgico curioso, no qual parte do crânio foi colocado no abdômen dele.

Onias Brito da Silva foi socorrido após o crime, no dia 18 de outubro, e encaminhado ao Hospital de Base de São José do Rio Preto (SP).

Consta no laudo que o paciente apresentou hematoma e fratura no crânio. Por isso, precisou passar por uma drenagem e uma craniectomia descompressiva, com duração de seis horas.

Para o procedimento, foi necessário cortar parte da calota craniana e coloca-la do lado esquerdo da parede abdominal de Onias. 

De acordo com o neurocirurgião e neurorradiologista intervencionista Lucas Crociati Meguins, a craniectomia descompressiva é um procedimento de emergência feito com frequência.

“Quando o paciente sofre um trauma, hematoma ou afundamento na cabeça, o cérebro incha, mas o osso não vai aumentar de tamanho. Portanto, tiramos metade do osso da cabeça do paciente para o cérebro sair pela janela que fizemos. Existe um respiro para o cérebro do paciente voltar, porque se deixarmos o osso totalmente fechado, ocorre morte cerebral”, explicou.

Ainda conforme Lucas Meguins, a parte da calota craniana retirada durante o procedimento não é colocada dentro do abdome do paciente, mas abaixo da pele subcutânea e acima dos músculos, um ambiente estéril e que protege o osso.

“Tiramos o osso na fase aguda, colocamos no abdome do paciente e tratamos o cérebro. Quando o quadro melhora, tiramos do abdome e colocamos de volta. O paciente pode ficar até seis meses com a calota no abdome. Muitos vão embora para casa, fazem a recuperação e voltam para recolocar. Em pacientes que não colocamos no abdome, fazemos outros procedimentos”, contou.

Onias apresentou boa evolução após passar pelo procedimento e recebeu alta hospitalar no dia 17 de novembro. Já o autor da lesão corporal grave, um pedreiro de 39 anos, foi preso em flagrante.

Caso

De acordo com o boletim de ocorrência, policiais militares foram acionados para atender uma briga entre funcionários de uma obra e encontraram a vítima caída com um ferimento na cabeça.

O pedreiro relatou à corporação que Onias ficou nervoso ao receber uma ordem de serviço e tentou golpeá-lo duas vezes com uma enxada. Depois de conseguir desviar dos golpes, o pedreiro jogou um enxadão na cabeça da vítima. Em seguida, usou um pedaço de madeira para agredi-la.

Fonte: G1

Seja o Primeiro a Comentar

Comentar

Campos Obrigatórios. *