Clientes da G A S Consultoria relatam atrasos nos pagamentos

A empresa responsabiliza bloqueios de contas pela Justiça


16 de Setembro de 2021 | 14h14

Clientes da GAS Consultoria, empresa de Glaidson Acácio dos Santos, preso sob a acusação de comandar um esquema de pirâmide financeira, usaram as redes sociais e grupos privados no WhatsApp para relatar atrasos em pagamentos que deveriam ter sido feitos nesta quarta-feira. A GAS prometia aos investidores retorno de 10% ao mês mediante supostas transações com criptomoedas, embora, segundo o Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal (PF), não possuísse sequer registro junto aos órgãos regulatórios para fazer as operações prometidas.

Em um comunicado, o setor jurídico da empresa informou que, até o momento, o Departamento Administrativo e Financeiro, encarregado dos pagamentos, não relatou nenhum problema ou demora no repasse de valores. Por isso, prossegue o texto, "as informações que estão sendo veiculadas através de aplicativos de mensagens e nas redes sociais não podem ser confirmadas". A empresa alega que foram solicitados esclarecimentos junto ao "setor responsável" e que, "assim que os fatos forem esclarecidos", irá repassar novas informações aos clientes e à "toda sociedade".

Mesmo sem confirmar os atrasos, a nota da empresa associa o problema a um bloqueio de mais de R$ 38 bilhões em contas associadas a Glaidson, determinado pela Justiça. "Quantia essa que seria utilizada pela GAS exclusivamente para liquidar os rendimentos dos seus clientes na data de hoje, 15 de setembro de 2021", afirma o comunicado.

O texto argumenta também que, desde a prisão do ex-garçom, que ficou conhecido como "faraó dos bitcoins", as empresas "responsáveis pela distribuição dos pagamentos aos clientes" estariam "sofrendo perseguição" e tendo as contas bloqueadas. A GAS explica que se trata de "decisão judicial de bloqueio de todos os recursos do CNPJ, o que deixa a empresa com tal recurso perdido". Por fim, a nota conclui que, "mesmo com toda dificuldade e dezenas de bloqueios", o grupo tem "honrado com seus pagamentos em dia até o momento".

Além dos valores retidos por ordem da Justiça, clientes que se sentiram lesados pela GAS e moveram processos também vêm conseguindo bloqueios judiciais em contas da empresa.

Fonte: Extra 


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.