Prefeitura e MPRJ em nova reunião sobre sistema híbrido em Campos

Uma série de reuniões estão acontecendo desde janeiro deste ano, com objetivo de garantir os direitos das crianças, adolescentes e dos profissionais da educação


07 de Maio de 2021 | 07h36

O secretário municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct), professor Marcelo Feres, e o subsecretário municipal de Vigilância em Saúde, Charbell Kury, participaram de mais uma reunião com a promotora de Justiça de Tutela Coletiva da Infância e Juventude de Campos - Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP/RJ), Anik Rebello Assed, para tratar do início do ensino híbrido seguro nas redes públicas e privada de Campos. O encontro virtual aconteceu nesta quarta-feira (05). Uma série de reuniões estão acontecendo desde janeiro deste ano, com objetivo de garantir os direitos das crianças, adolescentes e dos profissionais da educação.

Professor Marcelo explicou que a condição para que o ensino híbrido seja iniciado nas escolas de Campos é que haja um grupo mínimo de profissionais de educação previamente imunizados.  A proposta é que comece pela educação infantil. Na medida em que as vacinas forem sendo disponibilizadas para os profissionais da educação, novas turmas poderão ser formadas, ampliando o atendimento aos alunos, e avançando para o ensino fundamental.

“Ainda não sabemos quando a imunização dos professores vai começar. Esperamos que o município receba mais doses e que os nossos servidores - desde o porteiro, passando pelo pessoal de apoio, até os professores e auxiliares de turma – possam ser imunizados o mais rápido possível”, disse o secretário de Educação.

Charbell afirmou que o município aguarda novo diálogo com o Ministério Público para o início da vacinação desses servidores. “Não temos dúvidas de que qualquer ação que vise o retorno às aulas é mais segura com a vacinação desses profissionais. O protocolo elaborado pela Seduct é extremamente organizado e é um marco para as nossas ações. Mas ainda teremos novas  reuniões com o MP”, informou.

Desde fevereiro, as aulas na rede municipal de ensino estão acontecendo de forma virtual. Nesse período, a Seduct realizou diversas ações de modo a viabilizar a implantação do ensino híbrido assim que as condições sanitárias forem favoráveis, dentre elas as medidas protetivas para os profissionais, respeitando as determinações dos decretos municipais que buscaram a redução do contágio da Covid-19. Além disso, também criou Comissões para discutir as propostas; elaborou um Protocolo para o início do ensino híbrido, além de um Manual Operacional com instruções para evitar a transmissão do coronavírus no ambiente escolar.

“A mudança no cenário epidemiológico ocorrido no início do mês de março demandou a alteração do protocolo, até que o cenário assuma condição propícia. Diante da constatação pela área de saúde de que a variante atual do vírus é mais contagiosa e agressiva, tornou-se necessário considerar a imunização prévia dos profissionais”, comentou.

Fonte: SupCom

 


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.