Campos fará recadastramento para realocar profissionais da Saúde

Médicos e outros profissionais lotados em ambulatórios fechados devido à pandemia serão realocados nas unidades da linha de frente do combate à Covid-19


15 de Abril de 2021 | 11h48

O secretário de Administração e Recursos Humanos, Wainer Teixeira, e os médicos Marcos Gonçalves e Dante Pinto Lucas, respectivamente presidente e vice-presidente da Fundação Municipal de Saúde, estiveram reunidos na tarde desta quarta-feira (14) na sede da Prefeitura para tratar da realização do cadastramento dos profissionais da Saúde. Eles destacam a importância da parceria para realizar com celeridade e equidade o cadastramento, com objetivo de realocar profissionais que estão lotados em unidades fechadas nas unidades de saúde de enfrentamento da Covid-19, para proporcionar descanso aos profissionais exaustos que atuam há um ano na linha de frente do combate à doença.

“Estamos num momento de pandemia que implica na prática da solidariedade e, como gestores, também temos o dever de fazer a boa prática na gestão dos recursos humanos, notadamente neste momento que o que mais importa é o cuidado e medidas necessárias para salvar vidas. Temos uma parte do efetivo da Saúde que se desdobra em esforços, de forma abnegada na linha de frente das unidades de saúde para salvar a vida de milhares de pessoas no decorrer de um ano inteiro no combate à pandemia. Por isso, vamos realizar o cadastramento para que possamos identificar os profissionais da saúde em condições de cooperar com aqueles que estão exaustos nesse embate contra a pandemia”, justifica Wainer Teixeira.

Os gestores da Fundação Municipal de Saúde foram unânimes em afirmar que “vários médicos e outros profissionais que estão na linha de frente do combate à pandemia estão adoecendo devido à exaustão por estarem trabalhando há um ano e, por isso, precisam de descanso. Vamos identificar no cadastramento aqueles profissionais que estão afastados por alguma comorbidade que já foi apontada pela Organização Mundial de Saúde que não implica em risco para que possamos contar com eles com sua força de trabalho neste momento que todos precisam dar sua cota de sacrifício para salvar vidas. Muitos ambulatórios precisam continuar fechados para evitar aglomerações e os profissionais neles lotados serão realocados para atuarem na linha de frente para que, os atuais, que estão exaustos e adoecendo, possam se cuidar e voltar a participar dessa luta que é de todos profissionais da saúde”, defendeu Dante Pinto Lucas.

Fonte: SupCom


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.