Faperj investe R$ 438 milhões em ciência e inovação

Os recursos foram destinados para auxílios à pesquisa, sendo priorizadas chamadas de ações emergenciais de enfrentamento da epidemia da Covid-19


23 de Janeiro de 2021 | 09h11

A Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Rio de Janeiro (Faperj) anunciou a liberação de mais R$ 83 milhões, o que totaliza R$ 438 milhões em investimentos em projetos de 2020 voltados para a Ciência, Tecnologia e Inovação. 

Os recursos foram destinados para auxílios à pesquisa, sendo priorizadas chamadas de ações emergenciais de enfrentamento da epidemia da Covid-19, com investimento superior a R$ 35 milhões. 

Além disso, a Faperj aplicou outros R$ 35 milhões em auxílio a redes de pesquisa em saúde, todas voltadas de forma parcial ou integral para estudos sobre o coronavírus e outros trabalhos sobre vírus emergentes e reemergentes.

De acordo com o presidente da Faperj, Jerson Lima Silva, o ano de 2020 foi desafiador e trouxe um grande desafio para a ciência mundial. 

- A comunidade científica e tecnológica fluminense soube responder com rapidez e com estudos relevantes em todas as áreas. O fomento da Faperj foi crucial para que todas essas pesquisas pudessem ocorrer. A diretoria da Faperj salienta o esforço do Governo do Estado e da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação na liberação dos recursos financeiros para a Fundação, o que resultou em um nível de pagamento dos projetos praticamente igual ao do valor empenhado - disse Lima Silva. 

Para o secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, Dr. Serginho, a Faperj conseguiu dar andamentos a projetos, programas e investimentos importantes, mesmo diante de tantos obstáculos em 2020. 

- Parabenizo a equipe da Fundação, que lançou programas e pesquisas relevantes em nanotecnologia, saúde e, principalmente, em pesquisas voltadas para a Covid-19. Foram apoiados cerca de 120 projetos voltados para o combate da pandemia - lembrou. 

Diálogo com a iniciativa privada e PPPs

Segundo o secretário Dr. Serginho, para este ano a meta é fortalecer a Ciência, Tecnologia e a Inovação por meio da economia criativa das startups, em diálogo com a iniciativa privada e Parcerias Público-Privadas (PPPs). 

- Vamos trabalhar a interiorização de ações, promovendo encontros com secretários municipais, para que juntos possamos construir novas políticas e buscar linhas de fomento que desenvolvam a nossa pasta nas diferentes regiões do território fluminense - concluiu o secretário.

Fonte: Secon/RJ


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.