Governo libera shoppings por 24h como medida para conter covid-19

Prefeito do Rio não anunciou nenhuma medida de restrição às praias


04 de Dezembro de 2020 | 14h06

O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, e o governador em exercício, Cláudio Castro, anunciaram novas medidas para conter o avanço dos casos de Covid-19 no estado. Os shoppings e centros comerciais serão autorizados a funcionar 24 horas por dia a partir desta sexta-feira. A justificativa dos governantes é evitar, assim, aglomerações nas compras de fim de ano.

"Para evitar superlotação nos transportes públicos, vamos autorizar o funcionamento 24 horas de shoppings centers e centros comerciais. O objetivo dessa medida é evitar que pessoas se aglomerem para comprar presentes de Natal. Todo mundo poderá comprar com calma", afirmou Crivella. A medida vale para todo o estado.

A suspensão das atividades presenciais nas escolas municipais a partir de segunda-feira foi anunciada pelo prefeito Marcelo Crivella para o município do Rio. "As escolas municipais, por decisão do Ministério Público e do Comitê Científico, nós estamos interrompendo", afirmou Crivella.

Apesar da forte recomendação do Comitê Científico, a Prefeitura não anunciou nenhuma medida de restrição às praias. O prefeito Marcelo Crivella apenas recomendou que a população não vá à praia e disse que conta com a previsão do tempo para evitar aglomerações na orla.

"Nós estamos recomendando às pessoas a não irem às praias para quem tem comorbidade. Espero que amanhã as previsões se concretizem e chova. Essas pessoas arriscam a vida de seus entes queridos. Reiteramos para que as pessoas não compareçam às praias", disse.

Perguntado sobre a recomendação de órgãos e instituições de restringir a circulação da população, o governador em exercício Cláudio Castro garantiu que a fiscalização e a ampliação de leitos são suficientes para conter o avanço da Covid.

"Temos medidas de isolamento atualmente, e corrigimos nossa fiscalização. O que nós entendemos é que essas medidas, bem fiscalizadas, junto com a ampliação de leitos, são suficientes", afirmou Castro.
A entrevista coletiva foi realizada na manhã desta sexta-feira (4), no Palácio Guanabara. A secretária municipal de Saúde, Beatriz Bush, e o secretário estadual de Saúde, Carlos Alberto Chaves, estiveram presentes.

Prefeitura e governo do Estado já vinham recebendo pressão de instituições que identificaram o aumento de casos, como a UFRJ e a Fiocruz. A fundação chegou a falar em possível "colapso" na rede pública de saúde, caso o município não tomasse medidas mais enérgicas. Na quarta-feira, em reunião com o Comitê Científico, a Prefeitura recebeu relatos preocupantes de donos de redes particulares. Alguns disseram que a taxa de internação por Covid-19 já é semelhante aos meses de abril e maio.

Fonte: ODIA


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.