Caio Vianna vai acabar com os terminais e colocar vans e ônibus em todos o bairros

Caio Vianna prometeu regularizar os horários das linhas e remodelar a metodologia de deslocamento implementada na cidade


23 de Outubro de 2020 | 09h11

Caio Vianna (PDT), candidato a prefeito pela coligação Reviva Campos, conversou com moradores do bairro Penha sobre o quadro crítico do transporte público em Campos. O prefeitável ouviu reclamações dos populares sobre a rotina de pagar duas passagens para chegar ao centro da cidade e reforçou o compromisso em implantar, definitivamente, o Bilhete Único.

"Os passageiros gastam mais do que deveriam porque o Bilhete Único não funciona. Nós vamos fazer com que o Bilhete Único funcione efetivamente para que a população circule pelo município pagando apenas uma passagem”, enfatizou Caio Vianna. 

Erick da Silva expressou indignação ao falar sobre o sistema de transporte. O mecânico, de 41 anos, relatou o problema que um familiar enfrenta por conta da falta de linhas diretas de ônibus e vans. 

“Minha irmã mora no bairro Terra Prometida e paga corridas particulares de carro para chegar ao trabalho porque as linhas de ônibus não têm horário certo para passar. Ela leva muito tempo para chegar ao trabalho por causa da baldeação feita entre van e ônibus. Isso é inadmissível!”, falou Erick. 

Caio Vianna prometeu regularizar os horários das linhas e remodelar a metodologia de deslocamento implementada na cidade.

"No meu governo, vamos acabar com os terminais e colocar vans e ônibus em todos os bairros, com linhas diretas e horários regulares", declarou Caio Vianna. 

Durante a conversa entre Caio Vianna e a população, todos os protocolos de segurança sanitária foram respeitados. Foi mantido o distanciamento social, com o uso de máscaras e de álcool em gel a 70%.

Fonte: Ascom


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.