Prorrogadas as medidas restritivas no Estado até 6 de outubro devido à Covid-19

Entre as atividades que permanecem suspensas está a realização de eventos com a presença de público, como shows


19 de Setembro de 2020 | 11h05

O governador em exercício, Cláudio Castro, estendeu as medidas restritivas até 6 de outubro no Estado do Rio de Janeiro. As determinações foram publicadas em edição extra do Diário Oficial do Estado nesta sexta-feira (18).

Entre as atividades que permanecem suspensas está a realização de eventos com a presença de público, como shows. Apesar de recorrente em dias de sol, a permanência em praias e lagoas também continua vetada. Na orla, o estacionamento é restrito a moradores da região aos sábados, domingos e feriados.

Veja as medidas de restrição do decreto:

- Estão suspensos eventos com a presença de público, como shows

- Não é permitida a permanência em praias e lagoas

- O estacionamento de veículos em toda a orla da cidade do Rio é restrito a moradores da região aos sábados, domingos e feriados

- O uso de máscaras de proteção segue obrigatório em espaços públicos, transportes, estabelecimentos comerciais e repartições públicas

- Bares e restaurantes: funcionamento com 50% da capacidade de lotação até 1h; proibição do consumo de bebidas alcoólicas em ambiente externo depois das 22h; serviço para consumo de bebidas alcoólicas apenas para os clientes acomodados e sentados em mesas e cadeiras; distanciamento mínimo de 1 metro a 2 metros entre as mesas; música ao vivo e sistema self-service seguem suspensos

- Aulas na rede estadual de ensino: o retorno está permitido a partir do dia 5 de outubro apenas para os municípios que permaneçam em baixo risco de contaminação pela Covid-19 por, no mínimo, duas semanas seguidas antes da data prevista para a abertura.

Bandeira amarela

O governo do estado divulgou que oito das nove regiões do Rio de Janeiro estão classificadas com bandeira amarela, segundo a última nota técnica e o painel de indicadores sobre a Covid-19. Esta classificação indica baixo risco para a doença. São elas: Metropolitanas I e II, Médio-Paraíba, Centro-Sul, Baixada Litorânea, Serrana, Noroeste e Baía da Ilha Grande - estas duas últimas tendo saído do risco moderado após redução significativa em números de casos e óbitos.

A região Norte Fluminense passou da classificação de baixo risco para risco moderado após aumento no número de óbitos, mas queda no número de casos, de acordo com a nota técnica.

 

Fonte: Extra


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.