Expulso por deserção,PM se reapresenta e será reintegrado

A medida é prevista no regulamento interno da PM


06 de Agosto de 2020 | 10h19

 Após ser expulso da PM por deserção, o youtuber Gabriel Monteiro se reapresentou ao 34º BPM (Magé) nesta quarta-feira (05) e será reintegrado à corporação. A medida é prevista no regulamento interno da PM. De acordo com a PM, Monteiro "será reintegrado à tropa e responderá em liberdade pelo crime de deserção, assim como continuará incurso na Comissão de Revisão Disciplinar (CRD), instaurada contra ele anteriormente por quebra de hierarquia". O procedimento pode culminar na sua exclusão definitiva da corporação.

A expulsão de Monteiro foi publicada no boletim da PM desta terça-feira. O soldado faltou o serviço para o qual foi escalado no dia 22 de julho deste ano e permaneceu até o dia 31 sem dar qualquer satisfação sobre seu paradeiro à corporação. Ao todo, ele completou oito dias ausente, o que configura o crime de deserção previsto no artigo 187 do Código Penal Militar. Segundo nota enviada pela PM, "o comando da unidade enviou viatura ao endereço do policial, diariamente, a partir do segundo dia de ausência, repetindo o procedimento até completar o prazo. Em nenhuma dessas visitas o policial foi localizado".

Nesta quarta-feira, Monteiro alegou que estava de licença médica no período. A PM, entretanto, afirma que "o documento não foi apresentado pelo policial militar ao comando do 34º BPM".

A corporação ainda acrescentou que o soldado, "por faltar ao serviço 52 vezes durante o período em que trabalhou efetivamente como militar e de cometer outras transgressões, recebeu conceito 'mau' em sua ficha disciplinar, a pior das cinco classificações previstas no regulamento da Corporação: excepcional, ótimo, bom, insuficiente e mau". Ainda segundo a corporação, desde que foi transferido para o 34º BPM, em março, Monteiro "foi escalado em 45 serviços, tendo faltado a 20 dentre os quais, apenas seis de forma justificada".

Gabriel já respondia a um processo administrativo disciplinar desde março deste ano, ocasião em que teve o porte de arma suspenso. O soldado, que tem mais de três milhões de seguidores nas redes sociais e é conhecido por defender o governo Bolsonaro, cometeu uma "transgressão disciplinar de natureza grave", de acordo com a corregedoria da PM, ao tratar "de forma desrespeitosa" o ex-comandante geral da PM coronel Ibis Silva Pereira. O processo administrativo também poderia levar à expulsão de Gabriel.

Fonte: OGLOBO

 


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.