Alerj estuda nova comissão de impeachment com 39 membros

Deputados ainda aguardam resposta sobre recurso no STF, mas definiram modelo matemático para próxima formação


05 de Agosto de 2020 | 09h10

Enquanto aguarda uma decisão do STF sobre seu recurso na decisão que dissolveu a comissão de impeachment, a Alerj já definiu os critérios para a escolha de uma próxima comissão, caso não tenha êxito no tribunal.

Nesta terça (4), líderes partidários se reuniram e escolheram um novo modelo que selecionará 39 deputados, respeitando a proporcionalidade dos partidos da casa.

Se o STF de fato mantiver a posição por uma nova comissão, a formação será feita com um cálculo que segue a lógica da matemática das próprias eleições proporcionais, de casas legislativas, por quociente eleitoral.

Assim, cada partido terá direito a indicar um membro mais a quantidade igual a 25 (número de partidos) vezes a porcentagem de deputados representantes.

O partido que mais ganhou com a nova conta foi o PSL, rachado entre apoiadores de Witzel e bolsonaristas, que passará a ter mais três membros na comissão. Solidariedade, Republicanos, MDB, PSC, PT, PP, PSDB e PDT terão, cada um, mais um deputado. Novo, PSB, PROS e DC não terão acréscimos em suas bancadas.

 

Fonte: O Globo


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.