Wladimir Garotinho pede a Câmara para pautar a suspensão de cobrança dos consignados

Projeto de Lei 1785/2020, de autoria do parlamentar, encontra-se na Mesa Diretora


29 de Julho de 2020 | 19h58

O Deputado Federal Wladimir Garotinho (PSD-RJ), em Sessão Deliberativa Extraordinária desta quarta-feira (29/07), cobrou ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para pautar o Projeto de Lei 1785/2020. A proposta, de autoria de Wladimir, suspende, por 120 dias, o desconto mensal de empréstimo consignado de servidores públicos dos poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, da União, dos Estados e Municípios e do Distrito Federal.

Wladimir disse que não consegue a aprovação deste projeto porque nada é pautado no Legislativo propostas de vão de encontro aos interesses do sistema financeiro. “Tenho feito cobrança sistemática ao presidente do meu partido que me relata que não há interesse da Casa colocar o projeto em pauta. Por quê nada que afeta os bancos e o sistema financeiro é pautado? Na data de hoje, o Santander registrou um lucro líquido de mais de R$ 2 bilhões e não pode das sua cota de contribuição para a população, principalmente os aposentados que neste período de pandemia estão tendo seus investimentos reduzidos”, questionou.

Segundo Wladimir, várias cidades do Brasil estão tentando aprovar esta mesma lei nas Câmaras Municipais. “E sabe o que está acontecendo: os bancos recorrem e ganham na justiça porque alegam que é inconstitucional por não ter lei federal específica. Lei esta que a Câmara não coloca em votação. Por isso faço um apelo para que Vossa Excelência (Rodrigo Maia) aprove um requerimento de urgência para que o projeto seja colocado na pauta. O que não pode é só colocar em votação aquilo que é de interesse de poucas pessoas deste parlamento, enquanto o povo lá na rua está pedindo que a gente o represente aqui dentro”, enfatizou.

O deputado ressaltou que chegou à Câmara a proposta da Reforma Tributária do Governo Federal e que, para ele, mais uma vez pouparam o sistema financeiro. “Peço aos meus colegas que analisem com muito cuidado e atenção a proposta da Reforma Tributária, pois os bancos, que lucram bilhões por ano, mais uma vez foram poupados. Então não é possível a gente não coloque em pauta a suspensão dos empréstimos consignados dos servidores públicos”.

 

 

Fonte: Ascom


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.