Família denuncia que preso com suspeita de Covid-19 está trancando em viatura em Campos sem fazer teste

Ele está com febre, foi levado a Beneficência, mas não fez o teste, diz família


15 de Maio de 2020 | 09h13

Familiares de um homem de 30 anos, preso por tráfico de drogas na tarde desta quinta-feira (14), no conjunto de casas populares do Parque Aldeia, na região de Guarus, em Campos, denunciou para a equipe de reportagem do jornal NF Notícias que o homem está com suspeita de coronavírus e desde as 17 horas de ontem (14/05) permanece trancado em uma viatura policial por falta de atendimento na rede de saúde do município.

O homem, que ficou sete anos preso, está em liberdade há um mês. Ele sofre de bronquite asmática

Um parente do preso contou que ele foi levado para o Hospital Ferreira Machado, mas não foi atendido. Em seguida, a polícia levou o homem para a Beneficência Portuguesa, onde funciona o Centro de Controle e Combate ao Coronavírus na cidade, mas ao chegar foi informado que não teria o teste rápido.

Sem ter o que fazer, os policiais levaram o preso para a frente da 146ª Delegacia de Guarus, onde ele permanece trancado na viatura há mais de 15 horas. Ele segue escoltado pelos policiais militares.

A mãe do preso informou a equipe do NF notícias que a Secretaria de Administração Penitenciária do Estado do Rio de Janeiro (Seap) contou que não vai receber o homem no sistema.

Nota da prefeitura:

"Não procede a informação de falta de testes. O paciente em questão foi atendido pela equipe do Centro de Controle e Combate ao Covid19 e não apresentava quadro clínico para a realização de teste. O município de Campos faz a testagem para Covid-19 de acordo com as normativas do Ministério da Saúde. Para a realização do teste são levados em consideração o estado de saúde dos pacientes sintomáticos (moderados e graves) e o tempo do surgimentos dos sintomas para definir qual exame (PCR e teste rápido) será feito. 

De acordo com o protocolo de atendimento, o Hospital Ferreira Machado (HFM) recebe pacientes da Secretaria de Administração Penitenciária do Estado do Rio de Janeiro para tratamento na área de traumatologia. Qualquer outro atendimento inicial deve ser direcionado à UPA, já que trata-se de instituição estadual".

A equipe de reportagem do NF Notícias entrou em contato com a Seap, mas ainda não obteve respostas.


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.