Caso Daniel: advogado diz que "ficante" foi coagida a limpar sangue

Mãe de uma criança, Evellyn foi denunciada também por: falso testemunho, porque teria mentido em seu depoimento à polícia


28 de Novembro de 2018 | 18h51

Amiga de Allana Brittes, Evellyn Brisola Perusso, de 19 anos, "ficou" com o jogador Daniel antes do crime e, segundo o Ministério Público do Paraná, ajudou os suspeitos a limpar o sangue, o que configuraria crime de fraude processual.

Segundo o UOL, o MP formalizou a denúncia contra outras seis pessoas, incluindo Edison Brittes, o Juninho, que confessou ter matado Daniel em outubro deste ano.

Mãe de uma criança, Evellyn foi denunciada também por: falso testemunho, porque teria mentido em seu depoimento à polícia; denunciação caluniosa, porque a mentira teria gerado abertura de processo contra outra pessoa; e corrupção de menores, porque teria induzido uma das convidadas da festa, menor de idade, a praticar um delito.

Luis Roberto Zagonel, advogado de defesa, disse ao UOL que Evellyn é inocente de todas as imputações: "Nos causou espanto ela ter sido denunciada porque o próprio delegado entendeu que a Evellyn é testemunha dos fatos. Ela foi coagida a estar na residência e coagida a limpar o sangue. Tanto ela foi coagida que as pessoas foram indiciadas por coação a testemunhas, incluindo ela".

 

Fonte: Notícias ao minuto


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.