Novo Desenvolvimento Econômico

Novo Desenvolvimento Econômico

02 de Setembro de 2019 | 09h34

A PETROBRÁS VOLTA A SER A BOLA DA VEZ.


Os governos das duas últimas décadas tentaram destruir a nossa Petrobrás, dilapidaram a sua estrutura física, administrativa e financeira.

Após a entrada da Lava Jato as coisas começaram a melhorar para o país e em especial para o nosso orgulho que sempre foi a Petrobrás.

A Empresa vai investir nos próximos 5 anos US$ 54 Bilhões em projetos no Estado do Rio de Janeiro. A informação foi dada pelo presidente da companhia, Roberto Castello Branco.

¨Nosso foco no estado do Rio de Janeiro é exploração e produção de petróleo e gás, o que não inclui distribuição de gás e transporte. Possivelmente usinas termoelétricas movidas a gás. Este é o foco da companhia. O nosso foco não é industrial, somos uma companhia de petróleo¨.

Ele explicou que a Petrobrás é uma empresa do Rio de Janeiro, mas, como vai intensificar o foco nas atividades de exploração e produção de petróleo e gás até 2022, as suas operações e as suas refinarias, além de Rio, ficarão também concentradas em São Paulo e Espírito Santo.

 

PRÉ – SAL

No ano passado, a companhia pagou de impostos cerca de R$ 17 Bilhões, e a tendência é crescente, com impostos gerados não só com as atividades da Petrobrás, mas de outras empresas que estão investindo no PRÉ – SAL. O Estado do Rio de Janeiro vai ser o terceiro maior produtor de petróleo das Américas. Em 2022 / 2023, o Rio de janeiro só vai perder dos Estados Unidos e do Canadá.

A Empresa reconhece que há um declínio acelerado na produção dos campos maduros do Pós- Sal, mas explicou que isso ocorre por causa do envelhecimento do depósito mineral.

O presidente da Petrobrás informou que, do total de US$ 54 Bilhões que a empresa investirá, cerca de US$ 20 Bilhões serão aplicados na Bacia de Campos, por meio da compra de blocos exploratórios e parcerias com especialistas em recuperação de campos, para estabilizar o declínio.

Com o crescimento das operações do PRÉ- SAL, será necessário expandir a estrutura de logística com a construção adicional de gasodutos, mas ressaltou que o projeto de criação do Braduto é a pior solução. Temos dinheiro da iniciativa privada para construir gasodutos. É um bom investimento em renda fixa, em um mundo de taxas de juros baixa, investimento seguro e que rende em dólares . Existe interesse da iniciativa privada em fazer investimentos em logística.

 

COMPERJ

Castello Branco classificou o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Itaboraí) de ¨DESASTRE¨, por levar ilusões ao povo e ter provocado desemprego na região após a sua paralisação das obras. Ele informou que a companhia está investindo US$ 4 Bilhões na retomada de parte das obras para finalizar a construção da Rota 3, um gasoduto que ligará o pré-sal à costa e na usina de processamento de gás natural.

O presidente da Petrobrás informou ainda que a companhia aguarda a conclusão de um estudo que está sendo elaborado a partir de um memorando de entendimento com a empresa chinesa China National Petroleum Corporation, que deve definir projetos para o Comperj. Segundo ele a Petrobrás venderia parte do campo de Marlim (na Bacia de Campos), em troca de uma associação com a empresa chinesa. Isso acontecendo, a Petrobrás ficaria com 80% e a empresa chinesa com 20% para a construção de uma refinaria, mas até o momento nada se concretizou, pois uma construção desse porte não se enquadra nas diretrizes atuais.

Em vez de construir a refinaria, há potencial para fazer outros, como, por exemplo uma usina termoelétrica movida a gás natural. Esse tipo de investimento faz sentido para a Petrobrás e faz sentido para o Estado do Rio de Janeiro.

O presidente defende o programa de desinvestimento da companhia como forma de se desfazer de ativos que não interessam mais ao novo perfil da empresa, focado em exploração e produção. Para ele a venda da participação da Petrobrás na Gaspetro é de 51% e se todo percentual passar para a japonesa, ela terá o controle de 20 distribuidoras. A tendência é que seja vendida em blocos.

Enfim, estamos vendo uma retomada nas atividades da nossa maior empresa e em breve teremos boas notícias.

 

Forte Abraço, até a próxima semana, VICTOR AQUINO.


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.

Quem Sou

Victor Aquino

Arquiteto/ Urbanista há 39 anos Sócio do escritório de Arquitetura e Planejamento STUDIO+2 e da ARQHOSPITALAR Superintendente Portuário e Industrial de São João da Barra - RJ victor@arqhospitalar.com.br