Chuvas: força tarefa continua com ações na cidade e na região serrana

As ações foram anunciadas durante reunião, nesta segunda-feira


13 de Março de 2018 | 08h35

Tanto na região serrana quanto na cidade, equipes da prefeitura continuam vigilantes às áreas atingidas pelas chuvas. Duas ações pontuais já estão sendo realizadas: intensa sinalização da Linha Azul para veículos, durante a noite, tendo em vista a presença de água na pista, e a atuação de uma equipe com médicos e professores para atendimento às 52 famílias do Projeto de Desenvolvimento Sustentável (PDS) Osvaldo de Oliveira, que perderam o acesso por Córrego do Ouro. A construção de uma ponte no local também já está sendo providenciada. 
 

Na Linha Azul a Mobilidade Urbana mantém sinalizadores, letreiro e cones, mas a atenção e baixa velocidade no local são essenciais para a segurança do condutor.
 

Na Aroeira, a rua Vitória Régia e a ponte de acesso ao bairro pela Linha Verde, mantém-se interditada ao trânsito.
 

As ações foram anunciadas durante reunião, nesta segunda-feira, entre o prefeito Dr. Aluízio, secretários municipais e representantes de entidades como o INCRA, UFRJ, UFF, Centro de Assessoria Popular Mariana Crioula, MST, Conselho Gestor do PDS Osvaldo de Oliveira, Assentamento Celso Daniel e Corpo de Bombeiros. 

 

Quanto ao PDS Osvaldo de Oliveira, um caminho alternativo pela BR 101, altura do KM 156, com 11 quilômetros de extensão até à cidade, vai evitar o isolamento da comunidade. Professores da rede municipal de ensino serão levados ao local para atender aos alunos impedidos de trafegarem para a escola. Remédios e mantimentos também serão escoados por esse caminho, até a construção da ponte no acesso por Córrego do Ouro. 

Apesar de não haver mais riscos de chuva para os próximos dias, ainda há uma grande quantidade de água para escoar. A localização geográfica de Macaé, onde o mar é bem próximo às cadeias de montanhas, faz com que esse volume de água vá para a parte baixa do município, com escoamento para os rios, que estão bem mais caudalosos e, para os canais, alguns que já transbordaram, como aconteceu na Aroeira e Linha Azul. 
 

O período de maré alta ainda dificulta essa situação, mas a expectativa é que em uma semana as águas baixem. A Defesa Civil permanece em alerta constante, assim como equipes da Mobilidade Urbana (nas áreas críticas quanto ao tráfego de veículos) e Secretaria de Desenvolvimento Social, que está em campo desde a última semana e estará atuando, em uma força tarefa em conjunto com a Saúde, principalmente, nas áreas que margeiam os rios como Nova Esperança (onde três casas foram interditadas por rachaduras), Malvinas, Ilha Leocádia, Novo Horizonte (margem da linha). 

Muitas famílias estão desalojadas e foram levadas para casas de familiares e amigos. Duas famílias foram encaminhadas para a Pousada da Cidadania, mas não há informação sobre feridos e nem desabrigados. A ponte de Trapiche será liberada na quinta-feira (15).

 

Fonte: Secom


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.