Após audiência com o Ministério Público, Rogil voltará a atuar em Rio Preto

Ônibus irão atender Rio Preto e as localidades de Itereré, Deserto e Santo Amaro, apenas nos horários de pico


12 de Janeiro de 2018

A empresa Rogil volta a operar, a partir deste sábado (13), as linhas nas localidades das áreas de Lagoa de Cima e Rio Preto, após Termo de Acordo assinado nesta quinta-feira (11). A decisão foi anunciada em audiência com a promotora pública Maristela Naurath, do Núcleo Campos da Terceira Promotoria de Justiça do estado. Na ocasião, foi debatida a regularização do transporte coletivo nas localidades, interrompido a partir da greve dos motoristas e cobradores da empresa contra atraso de salários.

A audiência teve a participação do presidente do Instituto Municipal de Trânsito e Transporte (IMTT), Renato Siqueira, de membros da procuradoria; do proprietário da Rogil, Gilson Menezes; Fátima Menezes, pela Rogil, e de lideranças comunitárias das localidades, que pedem uma solução para o impasse, que já dura mais de 45 dias. 

Pelo Termo de Acordo, a Rogil disponibilizará três ônibus para atender Rio Preto e as localidades de Itereré, Deserto e Santo Amaro, apenas nos horários de pico. A partir de terça-feira (15), três outros ônibus serão destinados às localidades de Lagoa de Cima e Imbé, também nos horários de pico. Foi acordado ainda que a partir do período do ano letivo, estarão disponibilizados 16 ônibus para as localidades. A Rogil terá 10 dias para apresentar uma lista com os veículos em condições de circular, incluindo os ônibus cedidos por outros consórcios.

Na audiência, a promotora afirmou que o Grupo de Apoio à Promotoria (GAP) realizou visita às garagens da Rogil e que encontrou diversos ônibus em manutenção e apenas 16 em condições de circular. 

O presidente do IMTT informou que não foi comunicado pela empresa sobre a paralisação dos serviços, e que sugeriu a restruturação do atendimento, com o deslocamento de alguns ônibus de outras linhas para a região de Lagoa de Cima e adjacências, mas mesmo assim o serviço não havia sido retomado. 

— A Rogil se habilitou e venceu um processo de licitação sem apresentar a quantidade de ônibus exigida. Apesar de a empresa ter cerca de 60 ônibus, a empresa não se dispôs a atender a população, porém, o IMTT não abriu mão dos 16 ônibus para o atendimento — disse Renato. 

Fonte: Sup. Com. Campos


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.