Suplente a vereador e morador de Barcelos-SJB estão foragidos da operação "Cardiopatas 2"

De acordo com a Polícia Federal, os dois não foram encontrados pelos agentes e ainda não se apresentaram à sede da PM, em Campos


12 de Janeiro de 2018

A Polícia Federal, em Campos, divulgou na tarde desta sexta-feira (12/01), as fotos das duas pessoas que são consideradas foragidas da Operação Cardiopatas 2, deflagrada no início da manhã em Campos e São João da Barra. 

De acordo com o delegado da PF, Vinícius Venturini, os alvos que foram procurados pelos agentes, mas não foram encontrados, são o advogado e suplente a vereador, em Campos, Joacyr de Souza Conceição; e o morador de Barcelos, em São João da Barra, Tiago Correa tavares. A Polícia Federal deu o prazo até às 14h desta sexta (12/01) para que os mesmos se apresentassem à sede da PF, o que não aconteceu.

Suplente a vereador nas eleições de 2016
 

De acordo com TSE, o advogado Joacyr de Souza Conceição, de 71 anos, concorreu à Câmara de Vereadores de Campos, nas eleições de 2016, tendo obtido 342 votos, sendo considerado suplente pelo partido PDT. Ele também concorreu nas eleições de 2012, além de 2008, quando obteve a sua maior quantidade de votos: 1.212.

Segundo a Polícia Federal, Joacyr de Souza Conceição e Tiago Correa tavares teriam participado do esquema criminoso que fraudou o INSS. Eles seriam intermediários e atuavam como uma espécie de agenciadores de novos beneficários para o esquema. 

As prisões preventivas, decretadas pela justiça, são pelos crimes de organizacão criminosa, estelionato previdenciário e corrupcão ativa. Além dois mandados de prisão, a justiça também emitiu outros 5 mandados, todos de busca e apreensão.

Na primeira fase da operação, em dezembro do ano passado, a PF cumpriu mais de 50 mandados, sendo 15 prisão. Entre os mandados de prisão expedidos na época, estavam 7 servidores do INSS, todos conseguiram converter a prisão em uma medida cautelar, o afastamento da função pública.

Agora, para a PF, três pessoas são consideradas foragidas. Os dois investigados desta sexta-feira (12/01) se juntam à Rogério Vasconcelos Maciel, considerado um dos líderes do esquema. Ele está foragido desde a primeira fase.

O esquema

Utilizando exames falsos, tendo como diagnóstico problemas cardíacos, a quadrilha recrutava desempregados e os inseria no INSS. Depois, com a ajuda de médicos do INSS, eles conseguiam o auxílio doença. Parte do valor ficava com o beneficário e a maior parte com os membros da organização criminosa.

A estimativa é que 67 pessoas tenham sido beneficiadas com o esquema, que teria começado em 2010, causando um prejuízo de mais de R$ 11 milhões à Previdência Social.

Informações sobre os foragidos podem ser passadas pelo número (22) 2726-8700. A PF garante o anonimato.

Fonte: NF Notícias


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.