Polícia prende GCM suspeito de envolvimento na morte de sua mulher

Analista judiciária foi morta a tiros no início da noite do último dia 13 de abril, em frente ao galpão do Grupamento Ambiental da Guarda


25 de Maio de 2016 | 08h17

Previous Next

Foi preso pela Polícia Civil da 146ª Delegacia de Guarus na manhã desta quarta-feira (25), o Guarda Civil Municipal de Campos, Uenderson Mattos, um primo dele e ainda um advogado, todos por envolovimento na morte da analista judicidária Patrícia Manhães Gonçalves Mattos, de 41 anos, que era esposa de Uenderson. Ela foi morta a tiros no início da noite do último dia 13 de abril, dentro do estacionamento em frente ao galpão do Grupamento Ambiental da Guarda. O espaço fica situado na antiga Ceasa, no Parque Boa Vista, em Guarus, Campos.

O delegado titular da 146ª Delegacia, Luiz Maurício Armond, vai conceder uma entrevista coletiva à imprensa, mas já adiantou que, foram expedidos seis mandados de prisão preventiva e busca e apreensão. Uma suposta amante de Uenderson, que possivelmente se encontrava com ele em um apartamento do Recanto das Palmeiras, também irá prestar depoimento.

“Três minutos antes da morte da vítima ele ligou para um primo que é guarda. A vítima fez uma ligação para Uenderson um minuto antes dela morrer e ele não atendeu. Conduzimos um suspeito de ser o executor que tem ligação com um guarda que tem passagem por homicídio, o advogado do marido foi preso por estar coagindo testemunhas, pedia para que elas mudassem depoimentos e álibis. Existem vários nuances, não temos nenhum julgamento concreto e estamos trabalhando com diversas provas que nós colhemos. A polícia trabalha de maneira técnica e silenciosa, conseguimos colher as provas e fazer os monitoramentos cada vez mais”, disse o delegado ao NF Notícias.

Em revista no apartamento do guarda nesta manhã, a polícia encontrou um cofre com vários aparelhos celulares e chips. Há suspeita de que esses celulares estariam sendo usados para manter contato com mais algum suspeito da morte de Patrícia. 

Maiores informações em instantes. 

O crime

Patrícia Manhães Gonçalves Mattos, de 41 anos, esposa de um Guarda Civil Municipal, foi vitima de um latrocínio (roubo seguido de morte), na noite dessa quarta-feira (13), por volta das 18h50, no Parque Boa Vista, em Guarus. A vítima que seria analista judiciária, estava no interior de um carro Chevrolet Spin de cor preta, no estacionamento da GCM, onde funcionou a antiga Ceasa.

Segundo informações da policia, o marido da vitima encontrava-se de folga e teria ido a base apenas para pegar algo. Enquanto o guarda entrou, sua esposa o aguardava do lado de fora. Pouco depois, o marido e demais guardas que estariam trabalhando, escutaram o barulho de tiros e correram para averiguar, quando chegaram encontraram Patrícia baleada no interior do veículo.

Havia a quantia de R$ 1.500 em espécie, no interior do carro, porém esse dinheiro não foi encontrado após o crime. Suspeita-se que ela tenha reagido ao assalto, porém ninguém viu nada que possa relatar com exatidão o ocorrido. Uma testemunha que encontrava-se vigiando um animal em um pasto próximo ao local do crime, informou que avistou 2 elementos a pé próximo ao veículo onde a vítima estava, e de repente ouviu os disparos de arma de fogo, foi quando se jogou ao chão, não tendo observado características físicas ou vestimentas dos suspeitos do crime.

Com dois tiros na cabeça e um no pescoço, Patrícia foi levada pelo próprio marido para o Hospital Ferreira Machado, mas não resistiu e morreu durante o atendimento, logo após dar entrada na unidade hospitalar.

A polícia realizou buscas na área e bairros próximos, na tentativa de encontrar os bandidos, porém não foi localizado.


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.