16 de Maio de 2017 | 11h30

BBB Câmara: Saiba quem pode ser "eliminado" do legislativo campista

TSE deve julgar HCs nesta terça-feira (16)


"A vida imita a arte muito mais do que a arte imita a vida". A frase de Oscar Wide, considerado um dos maiores dramaturgos do mundo, pode ser um fiel retrato da política brasileira. Não apenas pelos escandâlos, cada vez mais semelhantes aos das telenovelas e filmes, mas, também, pelas surpresas que os próximos capítulos sempre reservam.

Na câmara de Campos, a dança das cadeiras muito se assemelha aos reatitys shows, cuja permanência dos "participantes", depende de voto popular. De fato isso aconteceu. Mas, após denúncias de corrupção, envolvendo vereadores e candidatos, a justiça passou a ter papel fundamental na formação do legislativo. Pelo menos 11 vereadores eleitos são investigados por compra de votos. Condenados em primeira instância, todos recorrem no TSE. 

Nesta terça-feira (16), a decisão do Tribunal  Superior Eleitoral, em Brasília, pode provocar mais uma dança das cadeiras na câmara de Campos. Já está na pauta de julgamento dois pedidos de Habeas Corpus envolvendo o caso "chequinho". Um deles, é que o pede a diplomação e posse dos 6 vereadores, que em dezembro do ano passado, não tiveram esses registros concedidos pelo TRE/RJ. Foi após uma determinação do juíz Ralph Manhães, da 100ª zona eleitoral, um dos responsáveis pela condução do processo de compra de votos. 

A pedido do NF Notícias, o conselheiro eleitoral da OAB/Campos, João Paulo Granja, fez um esboço da provável mudança de cadeiras no legiJoão Paulo Granja - OAB/Camposslativo, caso a justiça eleitoral conceda o habeas corpus e permita a posse e diplomação dos seis veredores. 

Os políticos que recorrem no TSE e que teram os HCs julgados hoje, são:

Linda Mara (PTC), Kellinho (PR), Miguelito (PSL), Ozéias (PSDB) e Thiago Virgílio (PP), que chegaram a ser presos na Operação Chequinho, e Jorge Rangel (PTB).

Veja na vaga de quem eles podem entrar, segundo João Paulo Granja, da OAB/Campos:

Geraldinho de Santa Cruz deixa o cargo para a entrada de Ozéias;  Joílza Rangel perde a vaga para Kellinho; Nenem sai para Jorge Rangel; Álvaro Oliveira deixa a cadeira para Miguelito; Cabo Alonsimar sai, Linda Mara entra; e Thiago Virgílio ocupa o posto de Carlos Alberto Canaã.

Apesar do esboço, Granja acha improvável que essas mudanças aconteçam num curto prazo, já que os políticos respondem num processo complexo, de muitas fases.

João Paulo Granja - Esse julgamento do TSE apenas se destina a permitir a diplomação dos seis vereadores, impedidos de assumirem a cadeira, em virtude do condicionamento da liberdade na Ação Penal que respondem à proibição de assunção do cargo de vereador. Ou seja, ainda haverá muita discussão em torno da diplomação, ou não, os Edis eleitos, diante do fato de ainda pender de julgamento a Ação Penal e a AIJE no TRE e TSE.

A sessão do TSE de hoje (16) está marcada para às 19h. Além da situação dos vereadores, os ministros também vão avaliar o pedido de HC para liberar o ex-governador Anthony Garotinho a falar publicamente do processo sobre compra de votos, envolvendo o cheque cidadão. 

1 COMENTÁRIO


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.


Karla Lopes

16/05/2017 | 14h30
Espero que a justiça seja feita. Pois todos os vereadores que por ventura forem diplomados,vai mostrar mais uma vez que vale quem dá mais,se permitindo ao suborno. Incluindo o ex Governador Garotinho,tido como o mentor da operação investigada.


veja também