Santa Casa: "Apesar do calote da prefeitura, estamos abertos para a população"

Diretor do hospital revela em entrevista exclusiva ao NF Notícias que Rafael Diniz não procurou a unidade de forma oficial para receber pacientes com suspeita de coronavírus


24 de Março de 2020 | 13h03

O provedor da Santa Casa de Misericórdia de Campos, Manoel Corraes e o diretor do hospital, Cléber Glória, revelaram em entrevista exclusiva ao jornal NF Notícias, que o prefeito Rafael Diniz não procurou o hospital de forma oficial solicitando que a Santa Casa recebesse pacientes infectados pela COVID-19 em Campos. Eles afirmam ainda que a informação não procede e que prefeito faltou com a verdade. Ainda de acordo com o diretor, a prefeitura não paga a Santa Casa desde junho de 2019 e que mesmo assim hospital está aberto para receber a população.

NF Notícias: A Santa Casa tem condições de receber pacientes com suspeita de coronavirus?

Santa Casa: Sim, temos total condição de receber esses doentes. Só lembrando que os doentes que vem para a Santa Casa são regulados pela Central de Regulação da prefeitura. Então, todos os doentes que eles acharem que devem vir nós estamos preparados para receber

NF Notícias: Há quantos leitos disponíveis para esses pacientes?

Santa Casa: A gente entende que os doentes que incialmente precisam de hospitalização são aqueles doentes mais graves, aqueles doentes que tem algum grau de insuficiência respiratória. Então esses doentes provavelmente, com certeza, precisarão de UTI. Nós temos aqui disponível para o Covid-19, 30 leitos de CTI. Mas, meus leitos não estão vazios, eles estão com doentes. Mas isso é dinâmico, a gente vai dando alta e esses leitos que ficam vagos são ocupados pelos doentes que a Central de Regulação manda para gente. A gente não ocupa esses leitos com doentes que eu quero. E sim com doentes que eles encaminham para gente.

NF Notícias: Se chegar pacientes com coronavirus, há risco para os demais pacientes atendidos pelo hospital?

Santa Casa: Sim, com certeza tem porque é um vírus respiratório. Mas, a gente toma todos os cuidados para que isso não aconteça. Mas a gente tem visto em outros países e outras instituições de hospitalares, que as pessoas que cuidam desses doentes acabam também contraindo o coronavírus. Então a gente vai aprendendo, é uma doença nova. A gente não tem todas as respostas. A gente vai aprendendo com as experiências de outros. A gente espera diante do que aconteceu na China e na Europa que a gente vai aprendendo com eles. De qualquer maneira não é uma escolha. A pandemia está aí e a gente tem que ajudar. A gente vai fazer todo o possível. E apesar de os hospitais filantrópicos, não só a Santa Casa, estarem passando por problemas. A prefeitura não faz os repasses. A gente está conseguindo algum repasse graças ao Ministério Público que faz uns bloqueios nas contas da prefeitura e passa para a gente. Mas a velocidade do Ministério Público não é a velocidade que a medicina precisa. A gente entende isso. Mesmo com esse esforço, a gente não consegue com esses recursos comprar material, medicamentos e principalmente os EPIs, que o estão mais caros, como luvas máscaras e álcool gel. Mesmo com todas essas dificuldades, a gente ainda tem condições de receber, pelo menos inicialmente. Não sei o que vai acontecer nas próximas semanas com os aumentos de casos.

NF Notícias: Rafael Diniz pediu ajuda a Santa Casa? Ele procurou vocês?

Santa Casa: Nós somos uma instituição e a gente não recebeu oficialmente nenhum comunicado do prefeito Rafael Diniz. O que a gente recebeu foi algumas conversas de alguns colaborares dele no sentido de ver o que a gente poderia fazer. A gente sempre se colocou disposição para ajudar no que for preciso. A gente só lembra e faz algumas restrições, que nós somos um hospital geral. Eu tenho mais de 80 idosos internados com doenças crônicas, acamados que são o alvo maior do risco do coronavirus. Eu tenho cardiopatas, eu faço cirurgia cardíacas. Eles também são sensíveis a ter problemas com o coronavírus. Eu tenho renal crônico, pessoas com insuficiência vascular. Pessoas com baixa imunidade e também são riscos. Todas as vezes que a gente teve contato com alguma pessoa da prefeitura, nos sempre colocamos dessa maneira. Nós somos hospital e vamos receber. Mas a gente tem que levar só isso em consideração. Porque se eu tiver uma contaminação no local onde tenho esses idosos acamados, eu vou ter um desastre. O pouco contato com os profissionais da Secretaria de Saúde tiveram com a gente nós passamos que não temos condições de ser a referência do município no atendimento do coronavírus. Porque o hospital está cheio de pacientes que são os mais sensíveis. Explicamos isso de forma muito tranquila e transparente nos poucos contatos que eles fizeram com a gente por telefone. Nenhum contato por documento, nada. Apenas um ou dois contatos por telefone sugerindo que hospital fosse referência. A gente disse que a gente não poderia ser a referência, mas que estaríamos aptos e preparados para os pacientes de coronavirus que fossem encaminhados.  Tanto é verdade que nós temos dois casos suspeitos e estão sendo notificados. Estão sendo testados para conformação. Recebidos do hospital São José e da UPA. O hospital tem uma equipe treinada e a gente está comprando material e medicamos específicos para poder proteger os profissionais para poder dar o melhor tratamento possível. Então essa fala do prefeito de Campos não condiz com a verdade. Ele não está dizendo a verdade quando diz que Santa Casa se recusou a receber. Tanto que a gente está recebendo. O que pedimos foi para a gente não ser referência. Porque temos serviços que são fundamentais para a saúde do município e são fatores de risco para o coronavirus. Inclusive quem deu a sugestão para o uso do prédio vazio da Beneficência Portuguesa fomos nós. Eu acho que o prefeito tem que começar a ser prefeito e parar de buscar briga com os hospitais filantrópicos que sempre os auxiliaram, sempre deram assistência de Campos, enquanto ele foi prefeito, antes dele ser prefeito. E futuramente quando ele não for mais prefeito os hospitais vão continuar aqui prestando toda a assistência necessária. Então eu não vejo nenhuma necessidade do prefeito ir para a mídia para ficar dizendo que Santa Casa se recusou a fazer qualquer assistência. O hospital está aberto fazendo toda assistência a população campista. Apesar do calote que o município faz de não pagar desde junho do ano passado nenhum centavo que fosse por mandado judicial ou através da Secretaria de Estado. Apesar de tudo o hospital está funcionando e isso tem que ficar bem claro para ele.


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.