Projeto propõe instituir modelo de escola Cívico-Militar no Estado do Rio

Seeduc ficará responsável pela gestão administrativa e pedagógica, enquanto os militares ficarão com a gestão disciplinar e estratégica


03 de Dezembro de 2019 | 15h43

Poderá ser instituído no Rio o modelo de Unidade Escolar Cívico-Militar na rede pública de ensino. É o que propõe o projeto de lei 1.667/19, do Executivo, que será votado em discussão única pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) nesta terça-feira (03). Caso a proposta receba emendas, ela sai de pauta e volta a ser analisada pelas comissões técnicas.

Essas escolas terão vagas para a população em geral, sem reserva para dependentes de militares ou policiais. Elas funcionarão em regime de gestão compartilhada entre a Secretaria de Estado de Educação (Seeduc) e as instituições militares e de Segurança Pública. A Seeduc ficará responsável pela gestão administrativa e pedagógica, enquanto os militares ficarão com a gestão disciplinar e estratégica. Cada unidade escolar será criada por meio de ato do governador.

“O Decreto Federal 9.465/19 aprovou uma nova estrutura organizacional do Ministério da Educação e criou a Subsecretaria de Fomento às Escolas Cívico-Militares (Secim). Neste sentido, os governos federal, estaduais e municipais estão implementando esforços para criar escolas neste modelo, com intuito de ampliar oportunidades oferecidas aos jovens e desenvolver competências. O aprimoramento pretendido utiliza como referência os Colégios Militares, que são reconhecidos de forma pública e notória como sistema de ensino de sucesso, com destaque para o bom rendimento nos alunos nas provas e exames nacionais”, justificou o governador Wilson Witzel.

Fonte:Alerj


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.