Médicos de Campos mantêm greve após nova assembleia

Os médicos alegam que só vão retornar ao ambulatório quando tiver insumos básicos para atendimento


23 de Agosto de 2019 | 10h56

Os médicos da rede municipal de Saúde de Campos decidiram manter a greve após assembleia realizada na noite de quinta-feira (22). Cerca de 60 médicos compareceram no auditório da Sociedade Fluminense de Medicina e entenderam que a greve deveriam continuar, já que o impasse com a prefeitura se mantém. Ato se iniciou desde o dia 07 de agosto.

Entre as reivindicações, os médicos exigem pagamento de salários atrasados, férias e abono de faltas. A categoria entrou com um pedido de mandado de segurança para garantir os salários integrais, onde conversaram com Dra Maristela do Ministério público estadual que vai propor uma ação civil pública contra a prefeitura.

Os médicos alegam que só vão retornar ao ambulatório quando tiver insumos básicos para atendimento (remédio, luva, etc...). Eles também revelaram que fizeram um dossiê para entregar ao Ministério público estadual e federal.

 

Hospital Ferreira Machado será gerido por Comissão Médica

O secretário municipal de Saúde e presidente da Fundação Municipal de Saúde, Abdu Neme, está realizando um levantamento minucioso na estrutura do Hospital Ferreira Machado (HFM) nesta semana. Estão sendo realizadas diversas reuniões com responsáveis por setores da saúde do município, além da abertura de uma nova enfermaria com oito leitos para acomodar pacientes. Nos próximos dias, será publicado em Diário Oficial do Município, a nomeação de uma comissão de médicos para gerir a unidade no período de 30 dias. 

- Estamos analisando vários pontos do hospital para melhorar ainda mais a qualidade do atendimento á população. É uma unidade muito importante para Campos e necessita de toda a atenção possível. Já tivemos novidades nesta semana como a abertura de uma nova enfermaria para receber pacientes - disse Abdu Neme, que entregou um monitor multiparâmetro à unidade. 

A nova enfermaria fica no 3° andar e já foi equipada para receber pacientes. Além disso, há reuniões para agilizar a transferência de pacientes para hospitais contratualizados da rede. Só nesta quinta, diversos casos foram analisados pela equipe da unidade.

 

Fonte: Redação/Ascom

 


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.