Governo do Estado do Rio lança projeto Geração Futuro, voltado para jovens entre 14 e 18 anos

O Estado do Rio tem o potencial de gerar 86 mil vagas para jovens aprendizes, e apenas 46 mil estão em processo de aprendizagem


14 de Agosto de 2019 | 17h37

Segundo dados da Subsecretaria de Emprego e Renda, ligada à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Emprego e Relações Institucionais, a juventude do Rio de Janeiro é um dos públicos mais atingidos pela falta de oportunidades de trabalho. A faixa etária entre 14 e 18 anos é a que mais sofre – cerca de 60% destes jovens não conseguem emprego. Para aqueles que têm até 24 anos, o índice cai para 33%.

Para mudar este cenário, o Governo do Estado lança, nesta quinta-feira (15/8), na Fecomércio, às 11h, o projeto Geração Futuro. O Estado do Rio tem o potencial de gerar 86 mil vagas para jovens aprendizes, e apenas 46 mil estão em processo de aprendizagem.

- A juventude do Rio de Janeiro é a que mais está sofrendo com o desemprego. Pensando neste público, a Subsecretaria de Emprego e Renda pensou o Geração Futuro, com o objetivo de mitigar e apoiar o jovem a partir da potencialização da lei da aprendizagem. O Rio de Janeiro tem, de imediato, capacidade de gerar 40 mil vagas junto à iniciativa privada – explicou a subsecretária de Emprego e Renda, Ana Asti.

De acordo com a legislação, empresas de médio e grande porte devem contratar jovens com idades entre 14 e 18 anos para os cargos de aprendizes. O contrato de trabalho pode ser de até dois anos, e, durante o período, o jovem deve passar por uma formação profissional.

- Nosso papel será a de captação dessas vagas e oferecê-las aos jovens fluminenses. Faremos ações em conjunto com a Secretaria de Educação em escolas estaduais. Inicialmente, serão cinco unidades que vão receber o projeto: duas na capital e as outras três na Baixada Fluminense, nos municípios de Nova Iguaçu, Belford Roxo e Duque de Caxias. Além disso, levaremos o Sine Móvel para ajudar o jovem que ainda não tem a carteira de trabalho e, ali mesmo, já começar o encaminhamento dele para as vagas – explicou Ana, acrescentando:

- A lei ainda prevê que o jovem faça um curso de formação no contraturno escolar. Por isso, vamos ajudar as empresas que estiverem empregando com a oferta aos cursos dos nossos parceiros. Já temos o CIEE, Cieds, Senac, Estácio e Plataforma Digital. E faremos um chamamento para outras que também queiram se juntar a nós.

Fonte: Governo RJ


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.