Campanha alerta para risco de colesterol alto em crianças

A má alimentação e o sedentarismo são os principais responsáveis por elevar o colesterol ruim e diminuir o bom (HDL)


10 de Agosto de 2019 | 12h56

O colesterol é um tipo de gordura importante para o funcionamento do corpo. Ele atua como matéria-prima para a formação de alguns hormônios e é responsável por parte das paredes celulares do corpo. Mas, quando há excesso — principalmente o LDL, considerado ruim — no corpo, é preciso ligar o alerta.

De acordo com especialistas, muitos pais acreditam que o colesterol alto é um problema apenas de adulto, mas a Campanha de Combate ao Colesterol 2019 liga o alerta justamente para a saúde das crianças.

— Hoje, há um grande diagnóstico de obesidade ainda na infância. O excesso de peso é fator de risco para o colesterol elevado. Descobrir se o nível desta gordura está elevado na criança e iniciar o tratamento é a oportunidade de prevenir doenças no futuro — afirma Cynthia Valerio, presidente do Departamento de Dislipidemia e Aterosclerose da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).

Para monitorar os níveis de colesterol na criança os pais precisam fazer o exame de sangue que mede esse tipo de gordura. É importante que o teste seja feito pelo menos uma vez até os 12 anos. Em famílias nas quais há histórico de doenças cardíacas a indicação é fazer o exame mais cedo, a partir dos 5 anos.

— É o excesso de colesterol que provoca a aterosclerose (depósito de gordura nas artérias), doença que causa enfarte. Quando uma pessoa de 50 anos enfarta, sabemos que isto começou bem antes, provavelmente na infância — diz Fernando Bassan, presidente do Departamento de Doença Coronariana da Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio.

A má alimentação e o sedentarismo são os principais responsáveis por elevar o colesterol ruim e diminuir o bom (HDL).

— Gorduras saturadas, presente em carnes e frituras, alimentos prontos ricos em gordura, açúcar e sódio, são alguns dos vilões — lista a nutricionista Luciana Novaes.

 

Fonte: Extra/Online


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.