Presidente do IMTT explica como irá funcionar o novo modelo de transporte público no município

Felipe Quintanilha relatou que está sofrendo ameaças após a implementação do projeto


10 de Julho de 2019 | 12h10

Previous Next

O transporte público de Campos irá passar por algumas mudanças importantes já no próximo sábado (13). O novo sistema será composto por linhas alimentadoras (vans e micros) e linhas troncais (ônibus), integrando o transporte alimentador de menor capacidade- como van e micro-ônibus - aos ônibus, em todas as áreas distritais do município, levando até terminais próximos à área urbana. O presidente do IMTT, Felipe Quintanilha, explicou detalhadamente como aconteceu todo o projeto.

“Esse processo ele se inicia em janeiro de 2017 quando o prefeito Rafael Diniz assume a gestão do seu mandato. Em 2018 eu assumo a presidência do IMTT para que a gente pudesse colocar em prática um projeto ambicioso, criativo e que pudesse resolver uma vez por todas os problemas de transporte na cidade. Ele (o projeto) foi apresentado publicamente no dia 4 de julho de 2018 na Câmara Municipal. Durante o período eleitoral (na época), nós deixamos o projeto sob consulta popular. Encerrado o período eleitoral, nós iniciamos uma série de audiências públicas por todas as localidades do município. Apresentamos o projeto e dialogamos com a população do projeto que estava sendo apresentado. Ainda no final de 2018, a gente encaminhou esse projeto de lei para Câmara e esse projeto foi aprovado por unanimidade. Todos os vereadores aprovaram o projeto de lei que instituiu o projeto alimentador de passageiros em outra posição substituindo o sistema alternativo. E esse sistema alternativo vigoraria até o término da licitação do sistema alimentador. Virado 2019, nós publicamos então o edital de licitação e demos mais de 45 dias no qual a lei exige, e no dia 26 de abril nós recebemos os envelopes de habilitação e de proposta técnica, de 351 participantes, então, nesse dia, nós abrimos os envelopes e classificamos os licitantes. Após isso, nós marcamos a nova sessão para abertura dos envelopes de habilitação e divulgamos o resultado: de 351 participantes, 272 foram devidamente habilitados e ganharam a licitação. Outros 79 perderam a licitação.”

Felipe Quintanilha também revelou funcionará a implantação do novo modelo de transporte em Campos.

“O sistema alternativa atual encerra suas atividades na sexta-feira (11), para que ele possa iniciar sua transição para o novo sistema alimentador. Para aqueles que ganharam a licitação, possa então, assinar os seus contratos e apresentar seus veículos para a vistoria corretamente adesivados. Então, especificamente o que a gente está fazendo agora é executar o que foi planejado. A partir deste sábado (13), os ônibus retomam todas as linhas da cidade de forma transitória, conforme também o que foi amplamente divulgado, as linhas discritais passam a ser responsabilidade do sistema alimentador, mas nesse período, que pode variar de 0 a 30 dias, os ônibus serão reforçados e praticamente irão dobrar o número de veículos no município. Nós teremos a partir do final de semana cerca de 260 veículos a disposição da população. Só para se ter uma ideia, hoje não chega a 120, 130 em horários de pico. Problemas? Claro que teremos problemas. Problemas que serão resolvidos o mais rápido possível. A população precisa entender e ela vai ser sentida a confiança que precisa ser resgatada na medida que os ônibus rodarem e à medida que vans e micro-ônibus começarem a rodar. Nós estamos trazendo aqui para Campos o que existe a 40 anos em outras cidades brasileiras. Nós iremos durante esse final de semana espalhar informativo nos pontos de ônibus, dentro dos ônibus, informando os horários e intervalos dos ônibus. Na sexta-feira o aplicativo de mobilidade, que recebe o mesmo nome do sistema, vai está disponível para a plataforma play store para download. Nós iremos aos longos dos dias explicar o uso dele para funcionar de forma correta. Esse aplicativo não teve nenhum custo para o município. Foi uma parceria com a Universidade Candido Mendes.

O presidente do IMMT relatou as ameaças que vem sofrendo após a implementação desse projeto.

“Ao longo de 1 ano, sofri diversas ameaças. Áudios de Whatsapp, recados de pessoas vinculadas ao sistema. Mais especificamente ao longo da última semana, a situação ficou ainda mais complicada. Hoje ainda vou registrar mais uma ocorrência na delegacia. Porque a ameaça foi mais intensa. Algumas pessoas foram flagradas vigiando minha residência, fotografando a minha residência. Recebemos alguns Whatsapp de forma mais direta, risco mais eminente de morte. Em primeiro lugar, isso não vai parar o processo e nem me calar. Só para deixar claro. Porém, é importante, assim como o prefeito Rafael Diniz que está nessa linha de frente, administrando o município com a metade do recurso, e ainda assim tendo avanço, ele sofre diariamente com esse tipo de coisa diariamente. Nós temos algumas situações, especificamente o indivíduo que já foi identificado e vai ser informado para a polícia mais tarde, que vai fazer isso e aquilo comigo. A gente não vai permitir que ele e nem qualquer outra pessoa atrapalhe esse processo. O processo não vai parar. Nós temos certeza que a população quer que o transporte funcione, melhore."

 

 

 

Fonte: Redação


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.