Legislativo sanjoanense solicita força-tarefa para combater o mosquito aedes aegypti

Está sendo avaliada a possível a contratação de mais funcionários para as funções de agentes de endemias


21 de Maio de 2019 | 13h59

Os transtornos causados pelo mosquito aedes aegypti foram debatidos na sessão da Câmara de São João da Barra nesta terça-feira (21). O plenário aprovou indicação proposta pelo presidente da Casa, Aluizio Siqueira, que sugeriu ao Executivo, a criação de uma força-tarefa para combater a proliferação do mosquito no município e, se possível, a contratação de mais funcionários para as funções de agentes de endemias.

– Graças a Deus aqui ainda não é surto, mas a situação está complicada; agora já apareceu o vírus mayaro, que mascara a chikungunya... Então, sugiro uma força-tarefa envolvendo as secretarias de Saúde, Meio Ambiente entre outras, com o apoio da Procuradoria para cuidar da parte legal porque temos uma lei, de minha autoria, que permite a entrada em imóveis fechados. E também a contratação de mais agentes. Hoje, pelo que sei, são 97. Eles são muito dedicados, mas precisam de apoio – diz Aluizio, que também requereu à Secretaria de Obras, a limpeza das galerias pluviais.

À Secretaria de Saúde, os vereadores Franquis Arêas e Eziel Pedro solicitaram a reabertura do Centro de Emergência, que, segundo Aluizio, foi fechado por problemas de esgotamento sanitário. "Esse centro é de suma importância e hoje necessita ser reaberto", disse Franquis. O vereador Elísio Rodrigues solicitou o calçamento das ruas de Barcelos e Roças Velhas (que ainda não foram calçadas) e também a construção de um canil para abrigar os animais de rua. Ronaldo Gomes solicitou a reforma da parte elétrica do cemitério da sede e a construção de uma praça em Chapéu do Sol.

Fonte: Ascom


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.