Centro de Controle de Zoonoses conclui ciclo de mutirões

Nesta etapa, 17 bairros e localidades foram visitados pelos agentes de combate a endemias. Mais de 17 mil imóveis foram vistoriados e mais de 230 focos do Aedes identificados


22 de Março de 2019 | 17h15

Mais de 17.3 mil imóveis, em 17 bairros e localidades no município foram visitados pelos agentes do Centro de Controle de Zoonozes (CCZ), nos mutirões de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças, como: chikungunya, dengue, febre amarela e zika. 

Os mutirões começaram em 15 de fevereiro e terminaram na última quinta-feira (21). Mais de 230 focos do mosquito foram identificados. Esta fase dos trabalhos foi iniciada devido à temporada de chuvas e após a divulgação do primeiro Levantamento Rápido do Índice de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) do ano, que apontou índice de 1,2 na cidade, o menor índice dos últimos dois anos.

— Os mutirões foram realizados em locais estratégicos e mesmo com o LiraA satisfatório, precisamos contar com a atenção da população quanto a prevenção — disse o diretor do CCZ, Marcelo Sales.

Além de visitas domiciliares, os mutirões incluíram ainda, serviços de recolhimento de inservíveis e pneus, colocação de telas em caixas de água e orientações técnicas dos agentes aos proprietários dos imóveis.  


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.