Temer está preso em sala do corregedor com cama improvisada no prédio da PF do Rio

O diretor da Polícia Federal no Rio, Ricardo Saadi, informou que o Temer não prestou depoimento nesta quinta-feira e que será ouvido em outra oportunidade


22 de Março de 2019 | 12h39

Surpreendidos com a decisão do juiz Marcelo Bretas que determinou que o ex-presidente Michel Temer fique preso nas dependências da Superintendência da Polícia Federal do Rio, na Praça Mauá, os policiais federais tiveram que improvisar uma sala no terceiro andar do prédio para acomodar o preso.

O ex-presidente foi levado para uma sala padrão ocupada pelo corregedor-geral da PF do Rio. Até uma cama foi providenciada às pressas. Segundo o site G1, a sala é uma das poucas no edifício que tem banheiro privativo, e conta também com ar-condicionado e frigobar.

Inicialmente, Temer iria ser levado para o Batalhão Especial Prisional (BEP), em Niterói, para onde foi levado o ex-ministro Moreira Franco e onde está preso também o ex-governador Luiz Fernando Pezão. Mas o juiz federal Marcelo Bretas aceitou um pedido da defesa de Temer e determinou que ele ficasse no prédio da PF.

"Entendo que o tratamento dado aos ex-presidentes deve ser isonômico, uma vez que o ex-presidente Lula está custodiado na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba", diz Bretas na decisão.

O diretor da Polícia Federal no Rio, Ricardo Saadi, informou que o Temer não prestou depoimento nesta quinta-feira e que será ouvido em outra oportunidade.

Pedido de liberdade

A defesa do ex-presidente também entrou com um pedido de liberdade no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) na tarde desta quinta-feira, após o emedebista ser preso por policiais federais. O recurso foi protocolado às 16h11 e distribuído para o desembargador federal Antônio Ivan Athié, que é o relator da Operação Prypiat, uma das que originou a operação de hoje.

 

Fonte: Extra/Globo


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.