IMTT apresenta na CDL projeto integrado para mudar o perfil do transporte público municipal

Sistema será composto por linhas alimentadoras (vans e micros) e linhas troncais (ônibus)


13 de Março de 2019 | 16h06

A segunda reunião de 2019 do Conselho Empresarial Permanente de Desenvolvimento de Campos aconteceu na noite de terça-feira (12) na Câmara de Dirigentes Lojistas de Campos (CDL), quando foi apresentada pelo presidente do Instituto Municipal de Trânsito e Transporte (IMTT), Felipe Quintanilha, o novo projeto de transportes para o município que estará funcionando plenamente ainda neste semestre.

Quintanilha foi didático ao explicar o grande esforço do órgão para equacionar o problema do transporte público e mobilidade, considerado um dos mais graves entraves do serviço público com reflexos em várias áreas. O projeto é considerado tecnicamente de ponta utilizando georreferenciamento, para monitorar os ônibus e vans que vão atuar e desta forma garantir a sincronia dos serviços.

O município foi dividido em três zonas, cada uma delas sob a responsabilidade de três consórcio formado por linhas de ônibus. As vans legalizadas vão ficar responsáveis pelo transporte de passagens em área distritais até os terminais, onde os passageiros embarcarão em ônibus sem ter que pagar outra passagem. Para utilizar essas linhas integradas, o usuário terá um cartão magnético e poderá acompanhar os itinerários a partir de um aplicativo de celular, onde será possível inclusive acompanhar a localização dos ônibus.

Os pontos de embarque terão um novo conceito com climatização e sanitários. Todos os coletivos terão GPS e Wi-fi. A expectativa é de que paulatinamente o novo sistema transporte dois milhões de passageiros/mês. As passagens não vão aumentar com isso, por parte será subsidiada pelo poder público. Com o sistema vigorando, as vans não terão mais acesso a área central da cidade, alcançando somente os pontos de embarque e desembarque estabelecidos no projeto de integração.

O presidente da CDL Campos, Orlando Portugal, disse que o projeto conta com todo o apoio da classe empresarial e que tem tudo para dar certo – “temos quer recuperar o sistema de transporte público, porque isso reflete em toda a economia. Os consumidores do interior já não se deslocam para a cidade e pessoas que moram em distritos conseguem mais empregos na área central. Temos que dar os parabéns pela iniciativa”.

Felipe Quintanilha disse que o projeto foi gestado dentro de conceitos que funcionam nas cidades de porte médio, mas lembrou que poucas no país tem o perfil territorial de Campos onde segundo ele – “cabem duas cidades de São Paulo ou três do Rio de Janeiro em se tratando de quilometragem. Lógico que teremos um período de adaptação, mas o projeto é irreversível e tem tudo para dar certo” - disse Quintanilha.

Fonte: CDL


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.