Criminosos restringiam o uso de celulares a moradores no Parque Aldeia com auxílio de central de monitoramento

Existiam câmeras em diversos pontos da comunidade


20 de Fevereiro de 2019 | 12h13

A Polícia Civil prendeu três homens suspeitos de envolvimento no tráfico de drogas e homicídios na manhã desta quarta-feira (20) durante operação no Parque Aldeia, em Guarus, Campos. Inclusive, um dos envolvidos, é apontado como o chefe do Tráfico da comunidade Aldeia I. A polícia ainda realiza mais dois mandados de busca e apreensão para localizar mais dois suspeitos. O delegado titular da 146 DP, Pedro Emílio, falou à imprensa de como foi feita toda a investigação para prender os criminosos.

“(Entre os envolvidos), merece destaque a figura do ‘chin’, que era o líder das ações do tráfico na comunidade da Aldeia I e foi preso por nós hoje dentro da ação de forças formadas pela Polícia Civil, Militar, PRF e Guarda Municipal, através de seu Grupamento de Cães. Deflagramos a primeira fase da operação 'Guadalajara', que e uma operação que tende a se estender ainda nas próximas semanas, ainda nos próximos meses, agindo nas diferentes comunidades de Guarus.”, disse Pedro Emílio.

O Delegado ainda revelou como os presos agiam para comandar a comunidade.
“A atuação que em geral se observa no tráfico é comércio de entorpecentes e diversos homicídios práticos a partir de rivalidade entre traficantes, entre facções rivais e também outros inocentes, por motivos diversos, vieram se exterminados cruelmente em homicídios bárbaros. Chama atenção a questão de que houve a determinação de que os moradores não usassem mais celulares nas ruas, nas vias da comunidade. Uma restrição sobre maneira e não geral observada em outros locais. Na casa de um indivíduo foi encontrado uma central de monitoramento de onde ele conseguia monitoras diversas ruas e perspectivas da comunidade.”, explicou o Delegado da 146 º DP.

Pedro Emílio relatou o motivo pelo qual os criminosos proibiam os moradores de usarem celulares. 

“A intenção era evitar que de alguma forma pudesse ser repassado as forças de segurança por moradores informações da atuação do tráfico, da atividade ilícita e com isso, facilitar através desses informações, a atividade de opressão. E não é algo incomum em Guarus, infelizmente, que ocorreu no Parque Aldeia I, homicídios ligados a suspeita de que determinado indivíduo, determinada família, determinada casal, tivesse passando informação a Polícia. Houve, inclusive, um caso de um idoso que foi morto por suspeita que estivesse passando informação aos policiais. Podemos confirmar que esses crimes serão priorizados e serão duramente reprimidos pela Polícia Civil em função da barbárie, da futilidade do caso.”, encerrou o Delegado. 

O subcomandante do do 8º Batalhão de Polícia Militar, Marcelo Aredes, também falou sobre a operação.

“Essa operação de hoje, fruto da integração dos órgãos que entregam o sistema de segurança pública, principalmente a Polícia Militar e Polícia Civil, ela foi coroada de êxito na prisão dessas pessoas ligadas ao tráfico e homicídio. Esses relacionamento, essa parceria, ela já vem ao longo dos dias, ao longo do mês. Guarus é conhecido pelo alto índice de tráfico de drogas e até a data de hoje, nós tivemos dois homicídios em Guarus e isso é fruto dessa parceria, desse trabalho integrado, desse patrulhamento diário que nós estamos fazendo.”, disse o sub comandante.

A Polícia Civil apresentou à imprensa a ferramenta de Disque Denúncia da 146 DP º, que é pelo telefone: 997013300 – o sigilo de identificação, como normalmente acontece, é garantido.

 

Fonte: Redação


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.