Aeroporto de Macaé está na lista dos que vão a leilão

Concessão de aeroportos renderão R$ 3,5 bi, diz Bolsonaro


18 de Fevereiro de 2019 | 14h37

Na expectativa de concluir até março os 23 leilões de concessão de aeroportos, o presidente Jair Bolsonaro destacou nesta segunda-feira (18), em sua conta no Twitter, a captação de R$ 3,5 bilhões em investimentos em 12 terminais, prevista para o próximo mês.

“Composto pelos aeroportos de Recife-PE, Maceió-AL, Aracaju-SE, Juazeiro do Norte -CE, João Pessoa, Campina Grande-PB, Vitória-ES e Macaé-RJ, Cuiabá e Sinop, Rondonópolis e Alta Floresta, todos em Mato Grosso”, explicou o presidente.

Em Macaé, as obras de reforma estrutural da pista do aeroporto vão garantir o aumento do PCN (Paviment Classification Number), que permitirá o retorno dos voos comerciais, através da operação de aeronaves que trafegam hoje nas rotas aéreas regionais. Os trechos em reforma irão ampliar a referência de resistência da pista para ATR 72 (70 passageiros), com previsão de entrega para o primeiro trimestre de 2019.

A sessão pública do leilão está marcada para o dia 15 de março, na sede da Bolsa de Valores de São Paulo.

Já em Campos, no começo do mês, o Ministério Público Federal (MPF) recomendou ao prefeito de Campos de Goytacazes (RJ), Rafael Diniz, a anulação imediata da licitação (Concorrência nº002/2018) que concede, à iniciativa privada, a implantação, operação e manutenção da estação prestadora de serviços de telecomunicações e tráfego aéreo do Aeroporto Bartolomeu de Lizandro.

O MPF considera que a implantação, operação e manutenção da estação prestadora de serviços de telecomunicações e tráfego aéreo do aeroporto constitui serviço público federal, não delegado ao município por meio do Convênio de Delegação nº 134, de 11 de outubro de 2013, e que, portanto, não cabe ao município concedê-lo.


1 COMENTÁRIO


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.


Claudio Lemes Louzada

19/02/2019 | 09h55
Ufa, finalmente passará para a iniciativa privada. A atual administradora INFRAERO gastou milhões para construir uma pista de 1.200 metros. Lamentável! É só consultar o site oficial da fabricante do ATR-72 para constatar que sua aeronave necessita de 1.370m com temperatura de 15C para decolar dentro dos conceitos internacionais de segurança mas estamos no Brasil...pode tudo...tudo pode...Atualmente, pista Mínima Regional para turboélices tem 1.650m (1.650 x 45m). Nos países desenvolvidos e na China como exemplo dos BRICS são de 2.500m. Continuamos reformando e construído aeroporto para o hoje. Mas, o hoje já é passado. Saudações,