Projeto determina a reserva de vagas no estado para estagiários oriundos de escolas públicas

O estágio será de seis meses, podendo ser renovado por até quatro vezes


12 de Fevereiro de 2019 | 16h32

Os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário podem ter que reservar pelo menos 20% das vagas de estagiários para estudantes oriundos de escolas públicas, sendo metade desse percentual destinado a alunos negros, indígenas ou quilombolas.

É o que determina o projeto de lei 393/11, do deputado Samuel Malafaia (DEM), que a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) vota nesta terça-feira (12), em redação final.O estudante precisará passar por um processo de seleção, que inclui uma prova e a avaliação da renda familiar, aproveitamento escolar e frequência nas aulas.

O estágio será de seis meses, podendo ser renovado por até quatro vezes. “O poder público deve dispor de mecanismos que facilitem a inserção desses jovens no mercado de trabalho. Principalmente, os jovens oriundos de escolas públicas, que através do estágio adquirirão conhecimento e experiência para tornarem-se mais competitivos”, argumenta Malafaia.


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.