Governador Wilson Witzel fala em redução das dívidas do estado em inauguração do Criaad

Segundo o governador, dívida que hoje gira em torno de R$ 8 bilhões, caíra para R$ 3 bilhões em março


15 de Janeiro de 2019 | 16h30

Previous Next

O governador Wilson Witzel veio a Campos na tarde desta terça-feira (15), feriado no município, para inaugurar a nova unidade do Centro de Recursos Integrados de Atendimento ao Adolescente (Criaad), que faz parte do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase). O local atenderá jovens que cumprem medida socioeducativa de semiliberdade. Prefeitos de cidade vizinhas, deputados estaduais e federais, vereadores e juízes estiveram presentes na inauguração.

- Estamos trabalhando para deixar isso daqui (Criaad) vazio. Nós queremos que nossos jovens tenham esperança em estudar. Não existe caminho alternativo que não seja o estudo -, afirmou o governador Wilson Witzel.

O governador lembrou que teve que tomar uma decisão muito difícil na vida quando renunciou ao cargo de juiz federal. “Foi uma decisão muito difícil, mas foi uma decisão de amor ao Estado do Rio de Janeiro. Conheço esse Estado, fui juiz em Itaperuna, passei por Campos várias vezes. Mas, vê o nosso estado sofrendo, vê sendo dilapidado por gente que não presta, por gente que não tem respeito pelo voto que recebeu. Isso me dava uma agonia muito grande. Tomei a decisão e com a graça de nosso senhor Jesus Cristo, nosso Deus, ele me permitiu estar aqui hoje vendo essa inauguração e tenho certeza que faremos muito pela região de Campos. Eu tenho um olhar especial pelo interior. Sei da importância de se prestigiar o interior e vocês não serão abandonados. Estaremos sempre aqui e vamos acolher as demandas na medida do possível para que a gente possa trazer investimentos para a região. Falei com o prefeito Rafael Diniz da importância de trazer de volta as empresas de petróleo e com isso trazer de volta o emprego. Outras questões, como a obra da ponte da Integração, são questões que estamos conversando e os resultados vão aparecer”, afirmou.

O governador lembrou a dívida do Estado e que em breve será diminuída. “Administrar o Estado com R$ 8 bilhões de déficit é muito dinheiro. Mas, em quinze dias de gestão, pelas contas que fizemos, até o mês de março será um déficit inferior a R$ 3 bilhões. É um trabalho árduo sério e eu estou esperançoso que nós consigamos fechar o ano já normalizado”, frisou.

Por sua vez, o prefeito Rafael Diniz começou seu discurso afirmando que é uma satisfação por Campos ser a primeira cidade da região a receber o governador, e que independente das diferenças partidárias, ambos têm apenas um compromisso que é a transformação do Estado do Rio e a cidade de Campos. “Nós precisamos resolver o problema na ponta para evitar a chegada deles. Mas, é inevitável essa chegada. Nós temos que dar cuidado sim, segurança sim, mas acima de tudo dar dignidade. É isso que o Criaad passa a oferecer agora para todos nossos adolescentes. Dignidade é mais do que ressocialização. É a transformação de uma nova vida para essas pessoas que muitas das vezes encontram nos funcionários dessa casa e no poder judiciário apoio familiar que muitas vzes não encontra na própria casa”, finalizou.

Já o Secretário de Educação, Pedro Fernandes, falou sobre a inauguração do Criaad, a importância do centro, a parceria com o Degase, e afirmou que o espaço não vai trazer nenhum tipo de transtorno para a população, mas que ficará atento. “Era um projeto do governo anterior e nós resolvemos dar continuidade. O diretor do Degase tem se empenhado e o governador já tem se manifestado sobre a importância de ressocialização desses jovens e é nesse foco que nós teremos para trabalhar na Secretária de Educação e especial o Degase. Pela primeira o Degase vai ter um governador que reconhece o trabalho. Um governador que reconhece o esforço do servidor”, ressaltou.

Sobre a educação no Estado, o secretário frisou que os repasses para as escolas foram feitos para que fossem realizadas as obras necessárias, mas que o déficit de professores é o principal problema. “Nossa preocupação é com o déficit de professores nas salas de aulas. Recebemos a secretária com menos de 2.016 professores, que dá um impacto de mais de 35 mil aulas que deixam de ser dadas todos os meses. E por isso nós antecipamos o processo de gratificação para que nossos professores tem a carga horaria disponível sejam captados pela secretária”, afirmou.

A Juíza Maria Daniella Binato, lembrou que a inauguração do centro é o final de uma luta depois de incansáveis reuniões. "Tentamos tirar leite de pedra. Todos sabem da crise pela qual o Estado passa. Infelizmente á infância não é prioridade. Foi uma batalha árdua. E hoje temos a unidade mais moderna de todo o Estado do Rio de Janeiro e Campos passa a ser referência em cumprimento de medidas socioeducativas. Nosos objetivo era trazer os adolescentes para um local onde a resocialização fosse possível e conseguimos", relatou.

André Monteiro, diretor do Degase, ressaltou que o Estado do Rio está vivendo um novo tempo e que o momento é muito importante para a sociedade e para os jovens. “É um tempo em que nós estamos renovando nossas esperanças em dias melhores. Estamos vendo uma luz brilhando no fim do túnel. Não poderia deixar de falar da herança de governos anteriores que trataram o Rio de Janeiro como nada. Mas, que hoje nós podemos fazer parte da mudança. De um grupo de pessoas. Do governador que traz a transparência, a honestidade, a lealdade e a honra como bandeira. Estou muito feliz por está vivendo isso. Vamos trabalhar para que possamos dar a esses jovens e adolescentes um futuro mais digno e promissor”, ressaltou.

 

 


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.