Eduardo Gussem é eleito procurador-geral de Justiça com 93,28% dos votos

Esta é a segunda vez em que há candidatura única


04 de Dezembro de 2018 | 09h13

O procurador-geral de Justiça, Eduardo Gussem, foi eleito com 750 votos, o que corresponde a 93,28% do total de votos válidos. Com isso, será reconduzido ao cargo para dar continuidade ao trabalho que vem desenvolvendo à frente do Ministério Público do Estado (MPRJ), nos últimos dois anos. Gussem foi o único candidato inscrito na eleição realizada nesta segunda-feira para o biênio 2019/2021. Votaram 804 promotores e procuradores de Justiça, dos 893 membros ativos habilitados a participar do sufrágio. Foram computados 21 votos brancos (2,61%) e 33 votos nulos (4,1%).

Gussem atribuiu o bom desempenho nas urnas de 2018 a um processo de renovação iniciado em 2015.

— Gradativamente, estamos ocupando espaços novos, com a revisão da carreira jurídica, que assume um formato diferente, com ênfase não só nos processos, e sim em entregas efetivas. É isso o que a sociedade espera de todos nós. E é assim que o MPRJ, sempre na vanguarda, vai atuar — declarou Gussem.

Segundo Gussem, o processo eleitoral foi primordial para fazer uma reavaliação do trabalho desenvolvido.

— É sempre muito importante para que possamos fazer uma reavaliação do trabalho que está sendo realizado, das conquistas, dos avanços alcançados, e do que nós temos que melhorar na instituição. A candidatura única, acima de tudo, representa uma conquista de unidade da instituição, que sempre prestigiou o candidato mais votado. Como a recondução é um processo quase natural dentro do MPRJ, neste ano, os demais interessados, muitos com totais condições de assumir a chefia, entenderam por bem não apresentar candidatura, diante do cenário de crise política e econômica do nosso estado. Mas não tenho a menor dúvida de que, na próxima eleição, vários colegas, muito preparados, disputarão um pleito muito concorrido —, destacou Eduardo Gussem.

Esta é a segunda vez em que há candidatura única. O primeiro caso ocorreu na recondução do ex-procurador-geral de Justiça Hamilton Carvalhido, cuja gestão se deu entre os anos de 1995 e 1999. De lá pra cá, os avanços tecnológicos deram mais agilidade ao processo eleitoral. As eleições desta segunda-feira foram realizadas pelo Sistema Eletrônico de Votação (SEV). Promotores e procuradores de Justiça puderam votar presencialmente em cabines de votações instaladas no foyer do edifício-sede do MRPJ, no Centro, ou de seus gabinetes em computadores com acesso a internet.

Propostas para o segundo biênio

Para os próximos anos, Gussem defende o combate obsessivo à corrpução.

— Com uma visão mais preventiva e resolutiva, pretendemos nos aproximar mais da sociedade, orientar melhor os cidadãos, informando-os acerca do nosso trabalho e métodos de atuação —, planeja Gussem, que também quer contribuir para tornar o Estado mais eficiente e transparente.

 

Fonte: Extra


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.