Guarda municipal é afastado das ruas após vídeo registrar agressão a camelô

Segundo a polícia, o camelô e o guarda municipal já prestaram depoimento, e o caso foi encaminhado ao Juizado Especial Criminal (Jecrim).


08 de Novembro de 2018 | 16h24

O guarda municipal Rodrigo de Souza, gravado agredindo o camelô Bruno Assunção nesta quarta-feira em Copacabana, foi afastado das ruas, de acordo com a Guarda Municipal do Rio. O órgão afirma ainda que abriu uma sindicância nesta quinta-feira para apurar o caso, registrado na 12ª Delegacia de Polícia.

Imagens gravadas com um celular e que circulam nas redes sociais mostram o momento da agressão ao camelô, na Avenida Nossa Senhora de Copacabana. Com uma mochila nas mãos, Bruno leva socos no rosto e se abaixa na calçada. No vídeo, é possível ouvir também a reação de pessoas que passavam pelo local à agressão.

Segundo a polícia, o camelô e o guarda municipal já prestaram depoimento, e o caso foi encaminhado ao Juizado Especial Criminal (Jecrim).

Ao "RJ TV", da TV Globo, Bruno Assunção afirmou na noite desta quarta-feira que vende produtos na calçada há 15 anos, mesmo sem licença da prefeitura, e que não reagiu quando os agentes pediram para que ele deixasse o local.

— O fato é que eu fui questionar o agente público pela forma que ele estava falando comigo e fui agredido por ele, entendeu? Infelizmente, ele não tem preparo nenhum. Inclusive, o responsável por ele ali me conhece da calçada e pode responder o que eu estou falando. Eu nunca desacatei nenhum agente da Guarda Municipal — disse.

Em nota, a Guarda Municipal ressaltou também que "promove treinamentos constantes e cursos de atualização do efetivo, que exigem do servidor utilizar os procedimentos operacionais corretos, manter o equilíbrio durante as ocorrências, além de tratar o público com educação e respeito".

 

Fonte: Extra/Globo


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.