Dome e Seadrill fecham parceria para integridade de navio sonda no Porto do Açu

A Seadrill é a primeira empresa a realizar o warm stacking de um navio sonda atracada no Brasil


09 de Agosto de 2018 | 14h41

A Dome, parceria entre a Prumo Logística e a GranIHC, fará o warm stacking da West Carina, navio sonda da Seadrill, no Porto do Açu, no norte fluminense. A sonda atracou no Terminal 1 do porto no final de julho, e deve permanecer no local por até 90 dias, com a possibilidade de extensão deste prazo.

Além da atracação da unidade, a Dome realiza de forma integrada serviços logísticos, de integridade, de reparo e de manutenção dos ativos do topside da unidade. A Seadrill é a primeira empresa a realizar o warm stacking de um navio sonda atracada no Brasil.

“Com o término do contrato da West Carina, que trabalhou para Petrobras em Libra por 3 anos, estávamos procurando locações para mantermos a sonda em warm stack no Brasil, como alternativa a locais tradicionais como Namíbia e Tenerife. Com a West Carina no Brasil, ganhamos competitividade nas oportunidades no horizonte próximo e poderemos acompanhar de perto as melhorias planejadas para a sonda. A parceria fechada com a Dome, abre caminho para o desenvolvimento do Brasil com um local viável para manutenção de sondas entre contratos, o que por sua vez gera benefícios indiretos aos operadores, além da geração de empregos, receita e expertise para o país”, disse Marcel Wieggers, Country Manager da Seadrill Brasil.     

Para Vinicius Patel, presidente da Dome, a parceria reforça os principais objetivos da empresa. “A Dome foi criada para contribuir com o aumento da eficiência dos nossos clientes, otimizando custos e eliminando gargalos. Somos um terminal one-stop-shop, que oferece serviços customizados de acordo com as necessidades de cada cliente. E é exatamente isso que fizemos na parceria com a Seadrill: possibilitamos a melhor alternativa, com os melhores benefícios”, disse o executivo.

Outro ponto destacado pelo executivo foi a profundidade do Terminal 1 (20,5 metros), que possibilitou a atracação da sonda sem a necessidade de remoção dos propulsores, gerando grande economia para o cliente.

 

Fonte: Ascom


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR


* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.